Hackers publicam exame médico, dizem que é de Bolsonaro

Grupo hacker anunciou na tarde desta quinta-feira obtenção de dados de servidores de rede do Hospital das Forças Armadas
Da Redação
14/05/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Os hackers que se identificam como sendo do grupo Digital Space afirmaram no Twitter, na tarde desta quinta-feira, 14, que conseguiram acessar e baixar dados de hospitais militares, em particular do Hospital das Forças Armadas (HFA) de Brasília. A conta de Twitter do grupo foi suspensa mas o CISO Advisor obteve cópia da postagem. O grupo diz ter tido acesso ao banco de dados do HFA e divulgou quatro exames médicos do presidente Jair Bolsonaro. O grupo também publicou um endereço IP onde estariam os dados. O endereço, segundo a ARIN, pertence à Microsoft e deixou de responder exibindo os dados.

O Digital Space, que afirma ter tido acesso a 121 hospitais e laboratórios públicos, é o mesmo que anunciou no domingo passado, 10, ter invadido servidores do Exército Brasileiro e vazado uma grande quantidade de dados de pacientes de hospitais do Exército e a integrantes e soldados da corporação. O exames do presidente vazados mostram que o presidente se identificou com seu nome de batismo, ao contrário do que fez com os exames para covid-19, quando alega ter usado pseudônimos.

Veja isso
Hackers anunciam vazamento de dados de servidor do Exército
Grupo hacker já havia vazado dados da Marinha e de escola da FAB

Segundo os hackers, a coleta e amostra foi encaminhada para o laboratório Sabin e de lá retornou ao HFA. Eles alegam que Bolsonaro utilizou dados de terceiros. “Observando o banco de dados do HFA, irão notar o registro dos nomes de terceiros que ele usou”, diz o comunicado. E questionam: “Por que [usar] dados de terceiros?”

Além das credenciais de acesso – que permitem consultar exames – o grupo disponibilizou um exame que contém o nome do Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. Veja abaixo réplica do exame e de telas publicadas pelo grupo e replicadas pelo site defcon-lab.org.

A mensagem do grupo é de conotação hacktivista:

“Olá, saudamos a todos.

Atualmente no mundo de mentiras em que vivemos, várias pessoas nos questionaram sobre o suposto “Exame” do presidente Jair Messias Bolsonaro.

[!] Vocês nos trouxeram perguntas e nós estamos trazendo respostas. [!]

Tivemos acesso ao Banco de Dados do HFA (Hospital das Forças Armadas).O presidente, alega ter realizado o exame no mesmo.

Já outras fontes dizem que ele só fez a Coleta e amostra foi encaminhada para o Sabin, e de lá retornou ao HFA.

[!] Sim o exame foi liberado ele utilizou dados de terceiros. Observando o Banco de Dados do HFA irão notar registro dos nomes de terceiros que ele usou. [!]

[!] E se olharem vão notar que nem os registros dos nomes utilizados pelo presidente. Ele tem histórico de coleta no ano de 2020. Uma atitude um tanto suspeita [!]

Deixaremos o seguinte “questionamento” Por que dados de terceiros?

[!] A DIGITAL SPACE NÃO TOLERA MENTIRAS. NEM DE ENCOBRIMOS FATOS. [!]” 

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest