personal-data-3914809_1280-1.jpg

Hacker alega venda de 100 mil registros do Santander México

O arquivo foi anunciado ontem e a nomenclatura dos campos permite identificar nomes, endereços, código fiscal e telefones
Da Redação
17/09/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Um cibercriminoso anunciou por volta das 06h30 de hoje a concretização da venda de um arquivo contendo cerca de 100 mil registros que ele alega pertencerem ao Banco Santander México. O arquivo, em formato XLX, foi anunciado ontem por volta de 10 da noite e tem 18 campos sem separadores, cuja nomenclatura permite identificar aqueles destinados a nomes, endereços, código fiscal e telefones.

O preço solicitado foi de US$ 250, para pagamento em bitcoins. Para comprovar a existência dos dados, o hacker publicou dez registros completos, exibindo os dados de dez cidadãos supostamente mexicanos e que supostamente têm algum relacionamento com o banco. 

Veja isso
Cibercrime terá custo global de US$ 11,4 mi por minuto em 2021
Tática de força bruta lidera as táticas dos cibercriminosos no segundo semestre

Apenas 15 minutos antes do fechamento desta reportagem, o hacker que vendeu os dados associados ao Santander foi novamente consultado e informou que não tinha outros arquivos para vender.

Dia 10 de setembro, no mesmo fórum, outro cibercriminoso buscava justamente adquirir dados de contas bancárias no México, mencionando especificamente os bancos Santander, BBVA, HSBC e Banorte, deixando um endereço do Discord e outro do Telegram para contato. Outro comprador buscava no fórum acessos em RDP, Team Viewer, VNC e bancos de dados.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest