Hacker afirma controlar mais de 20 Teslas em 13 países

Especialista alemão David Colombo disse ontem no twitter que falhas no veículo lhe deram a capacidade de destravar portas e janelas, ligar os carros sem chaves e desativar seus sistemas de segurança
Da Redação
12/01/2022

O especialista David Colombo, que mora na Alemanha, afirma ontem em sua conta no Twitter poder acessar algumas funções em um total de 25 veículos Tesla em 13 países ao redor do mundo. O acesso foi obtido não devido a uma vulnerabilidade na infraestrutura da Tesla, mas devido ao uso de serviços de terceiros e chaves de API pelos proprietários desses serviços.

Com acesso a 25 carros da Tesla, Columbo diz que pode desligar o Sentry Mode, abrir portas, abrir janelas e ligar o powertrain usando um controle remoto, tudo sem o conhecimento do motorista. Ele também pode ver a localização exata do carro. O hacker confirmou ao portal Drive Tesla que pelo menos uma das unidades “invadidas” está em na cidade canadense de Kitchener, Ontário.

Veja isso
Perito holandês decodifica todos os dados do Tesla
Pesquisador afirma ter invadido sistemas da Apple, Microsoft, Yelp e Tesla

Felizmente, o hacker disse que não vai prejudicar ninguém, mas quer entrar em contato com os proprietários para que eles saibam como proteger melhor suas contas. No entanto, ainda não foi capaz de descobrir como fazer isso.

Colombo também confirmou que está atualmente em contato com a equipe de segurança da Tesla para notificar os proprietários afetados.

Lotem Finkelsteen, head de Inteligência de Ameaça e Pesquisa da Check Point Software, acha possível “prever um futuro em que os usuários precisarão assumir alguma responsabilidade pela segurança cibernética de seus veículos. Se (apenas na hipótese, pois não desejo isso de maneira alguma) um hacker tomasse o controle de seu carro e você sofresse um acidente, não importaria de quem fosse a culpa de o carro não estar seguro, você faria tudo ao seu alcance para evitar isso. É claro que esperamos que os fabricantes forneçam um veículo totalmente seguro, mas nossa experiência em segurança cibernética nos mostra que isso não é algo que pode ser 100% garantido para sempre. Da mesma forma que esperamos ser proativos na proteção de nossos laptops e smartphones, suponho que precisaremos adotar uma abordagem mais prática para garantir que nossos carros estejam protegidos contra ataques cibernéticos. De fato, quando nossas vidas e nossas famílias estiverem em perigo, os usuários começarão a exigir um nível de controle pessoal sobre esses riscos.”

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Últimas Notícias