Guerra traz impacto à superfície de ataque do Brasil

Relatório semestral da empresa brasileira Apura mostra elevação de risco, incluindo 46% mais cartões de pagamento expostos em relação ao primeiro semestre de 2021
Da Redação
01/08/2022

A invasão russa na Ucrânia é provavelmente o primeiro conflito armado da história com grandes repercussões no ambiente cibernético e reflexos nítidos no Brasil, diz o relatório de riscos e ameaças da empresa brasileira Apura para o 1° semestre de 2022. O documento destaca os riscos trazidos pelos combates inclusive para os países que, como o Brasil, não estão diretamente envolvidos: “Empresas têm filiais em vários países, e muitas vezes organizações mantêm suas infraestruturas espalhadas também, justamente por questões de segurança. Isso implica que ataques contra estes sistemas podem acabar atingindo países que não estão envolvidos diretamente nos conflitos. Além disso, os ‘armamentos’ utilizados em guerras cibernéticas podem ser utilizados em ataques contra alvos diversos, seja para criar confusão, aumentar a sensação de caos, reagir a represálias de outras nações, atingir aliados da Ucrânia, e é muito difícil atribuir tais ataques a algum órgão centralizador, o que impossibilita a atribuição de culpa pelos ataques”, detalha o relatório.

Veja isso
Ataques DDoS batem recorde em virtude da guerra Rússia-Ucrânia
Geopolítica, covid e guerra inflam gastos com cibersegurança

No cenário brasileiro, o estudo destaca “um aumento bastante significativo na ocorrência de dois termos
relacionados a fraudes financeiras no primeiro semestre de 2022″. O primeiro foi “tela falsa”, associado principalmente à comercialização de páginas web falsas idênticas às das organizações que pretendem personificar. O outro foi “burlador”, em geral um kit para contornar a necessidade de envio de selfies para confirmar a abertura de contas ou solicitações de cartões de crédito por exemplo.

Segudo o CEO da Apura, Sandro Süffert, a procura pelo termo ou menção a “tela falsa” subiu 67% em relação ao primeiro semestre de 2021: “Mas o crescimento da quantidade de eventos com a expressão ‘burlador’ foi absurdamente alto, com um aumento de 659% em relação ao ano passado”.

Em relação a cartões de pagamento, houve um aumento de 637% no número de ocorrências identificadas pela plataforma da empresa em comparação com o primeiro semestre de 2021 diz Süffert: “Foram localizadas informações de 2.284.797 cartões de todo o mundo. Destes, 283.031 (12% do total) tinham origem no Brasil – um aumento de 46% em relação ao número do primeiro semestre de 2021. O país com mais cartões vazados foram os Estados Unidos, com 793.050, ou 34% do total”, conclui.

O relatório está em “https://conteudo.apura.com.br/relatorio-primeiro-semestre-2022”

Compartilhar:

Últimas Notícias