Grupo REvil de ransomware preso pela polícia russa

Prisões ocorreram em Moscou, São Petersburgo, Leningrado e na região de Lipetsk, com a ajuda de informações doa EUA
Da Redação
14/01/2022
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O Serviço Federal de Segurança da Federação Russa (FSB) anunciou na manhã de hoje que liquidou a operação do grupo REvil de ransomware, com a prisão dos seus 14 membros: “A comunidade criminosa organizada deixou de existir, a infraestrutura de informação usada para fins criminosos foi neutralizada. Representantes das autoridades competentes dos EUA foram informados sobre os resultados da operação”, informou o órgão em comunicado à imprensa. O grupo REvil é suspeito de um grande número de ataques, inclusive o que atingiu a empresa brasileira JBS.

As prisões, feitas em coordenação com o Departamento de Investigação do Ministério da Administração Interna da Rússia, ocorreram nas cidades de Moscou, São Petersburgo, Leningrado e na região de Lipetsk.

Veja isso
EUA prendem hackers ligados ao REvil e recuperam US$ 6 mi
REvil pega fornecedor do programa nuclear americano

Uma variedade de medidas investigativas e operacionais coordenadas foram executadas em 25 endereços das quatro localidades, levando à detenção dos 14 membros da comunidade criminosa organizada. Foram apreendidos mais de 426 milhões de rublos, inclusive em criptomoeda (equivalentes a 600 mil dólares americanos ou 500 mil euros), além de equipamentos de informática, carteiras criptográficas usadas para cometer crimes, e 20 carros de luxo comprados com dinheiro obtido do crime.

As atividades de busca foram baseadas no pedido das autoridades dos EUA, que denunciaram o líder da comunidade criminosa e seu envolvimento na invasão dos recursos de informação de empresas estrangeiras de alta tecnologia, introduzindo software malicioso, criptografando informações e extorquindo dinheiro para fornecer as chaves. O FSB da Rússia estabeleceu a composição completa da comunidade criminosa “REvil” e o envolvimento de seus membros na circulação ilegal de meios de pagamento e atividades ilegais.

Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)