cell-phone-690192_640.jpg

Governos podem usar notificações push de celulares para espionar

Da Redação
08/12/2023

O senador pelo Partido Democrata Ron Wyden, que faz parte do Comitê de Inteligência do Senado dos Estados Unidos, enviou carta ao procurador-geral solicitando que o Departamento de Justiça (DoJ) permita que a Apple e o Google divulguem detalhes de solicitações secretas de dados armazenados em smartphones feitas pelo governo americano. 

As solicitações de acesso a notificações push de dispositivos iOS e Android vêm sendo mantidas em segredo até agora devido às regras do DoJ, mas Wyden, ao pedir que as empresas divulguem detalhes das solicitações, sustenta que elas podem ser usadas por autoridades ou governos para espionar pessoas.

Como guardiões das notificações push de aplicativos para seus usuários, a Apple e o Google garantem a entrega “oportuna e eficiente” de tais mensagens, disse Wyden. “Mas também significa que podem ser secretamente obrigadas por governos estrangeiros a revelar essas informações.”

De acordo com a carta do senador, cujo envio ao procurador-geral foi noticiado em primeira mão pela agência Reuters, seu gabinete recebeu uma denúncia na primavera do ano passado sobre como governos estrangeiros estavam solicitando dados de notificações push de empresas como Apple e Google. “Consequentemente, a Apple e o Google estão em uma posição única para facilitar a vigilância governamental de como os usuários estão usando aplicativos específicos”, acrescentou Wyden.

Veja isso
Júri desvenda uso do Pegasus por ex-presidente do México
QuaDream, rival do Pegasus, é usado para hackear iPhones

Geralmente, um desenvolvedor terceirizado retém os dados associados às contas dos usuários em qualquer aplicativo lançado por meio da App Store, do Google Play ou de outras lojas de aplicativos móveis. No entanto, os dados enviados aos telefones dos usuários por meio de notificações push normalmente passam pela Apple e o Google, o que significa que essas empresas têm acesso a quaisquer dados enviados por meio dessas notificações. 

Wyden disse que seu gabinete tentou descobrir mais sobre a Apple e o Google, mas foi informado pelos funcionários das empresas que as informações sobre os dados de notificações push estavam “restringidas de divulgação pública pelo governo”.

Vale lembrar para o usuário que está preocupado com as informações que podem ser coletadas sobre ele por meio de notificações push que basta acessar as configurações do seu iPhone ou dispositivo Android e desativar essas notificações. Com agências de notícias e imprensa internacional.

Compartilhar: