Ransomware pega governo de Louisiana pela 2a vez este ano

Paulo Brito
19/11/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Rede estadual foi atingida ontem, interrompendo o serviço em muitas agências estaduais. No incidente anterior, em julho passado, o governador declarou estado de emergência

Uma parte da rede de dados do governo do Estado da Louisiana (EUA) foi atingido hoje pela manhã por um ataque cibernético de ‘ransomware’. O incidente foi registrado às 11 da manhã e levou o estado a desligar servidores, deixando fora do ar as 79 agências do Office of Motor Vehicles (equivalente ao Detran dos Estados brasileiros), inclusive as da capital, New Orleans, além de outros serviços estaduais, informaram autoridades às agências de notícias.

Saíram do ar também outros websites importantes, como o do gabinete do governador, o do legislativo do Estado da Louisiana, Departamento de Correções e outros. A interrupção em grande escala impediu que os funcionários da OMV executassem a maioria das funções e os clientes foram convidados a retornar mais tarde. O problema é que em Julho deste ano o mesmo governador já havia declarado emergência exatamente por causa do mesmo problema.

Em mensagens pelo Twitter na tarde de hoje, segunda-feira, o governador John Bel Edwards adiantou detalhes sobre o ataque, esclarecendo que a equipe de segurança cibernética do Estado havia sido acionada para interromper a tentativa on-line de chantagem contra o governo. Há informações de que o Escritório de Serviços de Tecnologia do Estado desligou alguns, mas não todos os servidores, para impedir a propagação do malware, disse Edwards.

Nas palavras de Edwards, “[o Escritório de Serviços de Tecnologia] iniciou imediatamente seus protocolos de segurança e, com muita cautela, derrubou servidores estaduais, o que impactou o e-mail, sites e outros aplicativos on-line de muitas agências estaduais”. Edwards disse que os serviços online começaram a voltar para algumas agências hoje mesmo, mas que a restauração completa pode levar vários dias.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest