malware-Google-Play-apps.jpg

Google Play adota novas políticas para barrar ‘fleeceware’

Da Redação
20/04/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Empresa quer coibir golpes de envolvendo aplicativos desenvolvidos para Android que não cancelam a inscrição do usuário automaticamente após a desinstalação e cobram taxas sem autorização

malware-Google-Play-apps.jpg

Com o aumento dos golpes de “fleeceware” no Android, o Google anunciou a introdução de novas políticas da Play Store destinadas a impedir essas fraudes no futuro. Fleeceware se refere a apps que não cancelam a inscrição do usuário automaticamente após a desinstalação e cobram taxas sem autorização.

O gigante das buscas também se comprometeu a fornecer aos usuários do Android assistência direta na forma de notificações quando um teste se transformar em uma assinatura paga ou se uma renovação for renovada consequentemente.

As novas políticas estabelecem que os desenvolvedores de aplicativos sob demanda ofereçam informações claras sobre as obrigações associadas aos modelos de assinatura e avaliações gratuitas, além de fornecer uma maneira simples e fácil através da qual os usuários possam cancelar as assinaturas. Essas políticas são uma pequena parte de uma campanha mais extensa do Google, destinada especialmente a garantir a privacidade e a segurança dos usuários do Android.

Veja isto
Trojan oculto na Google Play mira cliente Santander
Jogos do Google Play hackeados afetam Android

As políticas concentram justamente no fleeceware, aplicativo que ‘manipula’ os períodos de teste e os modelos de associação para fraudar as vítimas. Esse tipo de aplicativo geralmente sobrecarrega o usuário com termos e condições complexos, além de garantir compromissos de assinatura injustificáveis.

Como componente dos novos pré-requisitos, os desenvolvedores devem distinguir com clareza suficiente entre os recursos acessíveis sem custo e os acessíveis apenas para assinantes pagantes. Portanto, o Google transmitirá uma advertência aos usuários quando um teste gratuito estiver finalizado ou quando uma assinatura com mais de três meses for devida.

A empresa também dará avisos se um usuário tentar desinstalar um aplicativo anexado a uma assinatura em andamento.

As novas políticas entram em vigor em 16 de junho, portanto, até lá os usuários devem ter atenção especial sempre que manipularem assinaturas no Android. Além disso, a empresa tomou a iniciativa de lembrar aos desenvolvedores que seu novo procedimento de avaliação produzirá resultados em agosto, o que exigirá que obtenham a aprovação do Google antes de solicitar dados de localização ao usuário final. Os ‘ajustes’ adicionais da Play Store também estão no pipeline, que supostamente abordará questões relacionadas a conteúdos e aplicativos enganosos.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest