Golpista cria deepfake de diretor de exchange de criptomoedas

Da Redação
28/08/2022

Um golpista usou a técnica de deepfake para se passar por um alto funcionário da Binance em reuniões online com clientes. O alvo da fraude foi Patrick Hillmann, diretor de comunicação da Binance, uma das maiores exchange de criptomoedas do mundo em volume diário de negociação. Hillmann disse em uma postagem no blog da empresa que ficou chocado com a fraude, pois mesmo a Binance tendo diversas camadas de proteção, isso não impediu que golpistas criassem uma deepfake dele. 

Segundo o executivo, várias pessoas acreditaram estar realmente conversando com ele. “Ao longo do último mês, recebi várias mensagens online me agradecendo por dedicar um tempo para me reunir com as equipes de projeto sobre possíveis oportunidades de listagem de seus ativos na Binance. Isso foi estranho porque eu não tenho nenhuma supervisão ou visão das listagens da empresa.”

Hillmann mostrou-se surpreso com os contatos já que, além de não participar do processo de listagem de criptomoedas da Binance, nunca teve contato com as pessoas. “Apesar de ter liderado anteriormente uma das maiores equipes de segurança cibernética do mundo e gerenciado algumas das maiores violações de dados da história, como à US OPM, Ashley Madison, etc., eu não estava preparado para esse tipo de ciberataque”, disse ele, ao explicar que o golpe se compara com o do “Principe da Nigéria” dos anos 2000, em que o fraudador tenta convencer a vítima a pagar quantias cada vez maiores em busca de obter um ganho ainda maior no final.

Veja isso
Cresce sofisticação no uso de deepfakes, alerta VMware
Prefeitos europeus dialogaram com deepfake do prefeito de Kiev

Descobriu-se que o fraudador havia se passado por Hillmann usando tecnologia baseada em inteligência artificial para gerar imagens holográficas em três dimensões e em tempo real. A imagens holográficas como as vistas na TV e no cinema são capazes de confundir um observador menos atento. “Uma sofisticada equipe de hackers usou entrevistas anteriores e aparições minhas na TV ao longo dos anos para criar uma ‘deepfake’ de mim”, disse ele.

Segundo Hillmann, além “dos 15 quilos que ganhei durante a Covid estarem visivelmente ausentes, essa deepfake foi refinada o suficiente para enganar vários membros da comunidade cripto altamente inteligentes”

O golpe parece ter sido uma das primeiras tentativas relatadas de usar a tecnologia deepfake para se passar por um indivíduo por meio de exibição de vídeo. Até agora, a maioria dos ataques usava áudio para enganar suas vítimas.

O FBI alertou no início deste ano sobre golpistas convidando participantes de empresas para uma reunião de colaboração online. Quando eles se juntaram, eles se depararam com uma imagem aparentemente “congelada” de seu anfitrião, acompanhada de áudio deepfake, pedindo-lhes que transferissem dinheiro para uma conta bancária externa. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar: