banner senha segura
senhasegura

Gasto global contra crimes financeiros atinge US$ 214 bi

Pesquisa global com profissionais de compliance contra crimes financeiros aponta aumento dos gastos em mais de US$ 33 bilhões de 2019 para 2020
Da Redação
16/06/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Os gastos globais das instituições financeiras com compliance contra crimes financeiros totalizaram US$ 213,9 bilhões de dólares em 2020, ultrapassando os US$ 180,9 bilhões registrados no mesmo período do ano anterior. A maior parte desse aumento está concentrada na Europa Ocidental e nos Estados Unidos.

Os dados fazem parte do “Relatório Global Anual sobre o Real Custo de Compliance contra Crimes Financeiros”, da LexisNexis Risk Solutions, e são baseados em uma pesquisa com 1.015 tomadores de decisão em relação à compliance contra crimes financeiros em instituições financeiras, incluindo bancos, empresas de investimento, gestão de ativos e seguros ao redor do mundo.

Os tomadores de decisão que participaram do estudo supervisionam os processos de compliance contra crimes financeiros, como o monitoramento de sanções, remediação para “conheça seu Cliente” (da sigla em inglês KYC, know your customer), antilavagem de dinheiro e monitoramento de transações.

O estudo mostra que os países da Europa Ocidental e os EUA continuam representando 82,7% dos gastos globais totais. A Alemanha e os EUA responderam pela maior parte dos investimentos, com US$ 9,6 bilhões e US$ 8,8 bilhões, respectivamente. A Alemanha superou todos os demais países, com um volume considerável. 

As instituições financeiras de médio a grande porte lideram esse crescimento em todas as regiões, onde os aumentos chegam a percentuais de dois dígitos para os gastos com compliance, exceto na África do Sul e no Oriente Médio.

Nos anos anteriores, houve um consenso sobre os dois ou três principais desafios de compliance classificados pelas instituições financeiras. Há uma menor uniformidade na pesquisa deste ano. O perfil de risco do cliente, screening de sanções, relatórios regulatórios, identificação de pessoas politicamente expostas (PEPs), KYC para integração de contas e resolução de alertas eficientes estão todos classificados de forma semelhante como desafios principais. No entanto, regiões diferentes veem graus diversos, tornando certos desafios mais críticos.

A pandemia do novo coronavírus, ainda em andamento, deixou marcas significativas nos departamentos de compliance, o que exacerbou os problemas existentes e levou a um aumento no tempo e nos gastos necessários para a devida diligência. Instituições de médio e grande porte nos EUA e no Canadá, bem como em partes da América Latina experimentaram crescimentos consideráveis de custos relacionados à covid-19. Os desafios operacionais aumentaram nesses mercados desde o início da pandemia, incluindo maiores volumes de alertas e transações suspeitas, ineficiências com resolução de alertas e devida diligência, mais trabalho manual e limitações para adequar perfil de risco, screening de sanções e identificação de PEP.

Veja isso
Bancos têm rating mais rígido com empresa alvo de vazamento
Ciberataque pode afetar classificação de risco de bancos

Ainda de acordo como o relatório, as instituições financeiras que implementam soluções de tecnologia para apoiar os esforços de compliance contra crimes financeiros, estiveram mais preparadas e sofreram impactos menores, em geral, devido ao aumento das pressões regulatórias e da covid-19. Na comparação com as empresas que distribuíram maior parte de seus gastos anuais com mão de obra, aquelas que direcionaram mais para tecnologia estão identificando custos operacionais menores de compliance contra crimes financeiros, além de baixos custos por funcionário em tempo integral e menos desafios relacionados à pandemia.

“Os criminosos nunca deixarão de se tornar mais sofisticados, mas a adoção de uma solução em múltiplas camadas para compliance contra crimes financeiros pode tornar mais fácil uma abordagem de compliance mais econômica e eficiente. As instituições financeiras devem investigar tanto os atributos de identidade física quanto digital de seus clientes, aproveitando a análise de dados para avaliar riscos e comportamentos em tempo real”, disse Leslie Bailey, vice-presidente de compliance contra crimes financeiros da LexisNexis Risk Solutions.

Ela diz haver atualmente um maior reconhecimento entre as instituições financeiras de que as iniciativas de compliance contra crimes financeiros oferecem benefícios mais amplos. “O uso de tecnologias corretas conforme cresce a força de trabalho de compliance, permite que a equipe se concentre em tarefas de compliance com mais valor e de maior complexidade, as quais requerem análises de pessoas habilidosas.”

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório