banner senha segura
senhasegura
profits-1953616_1280.jpg

Gasto global com cibersegurança atinge US$ 53 bi em meio a recorde de violações

Segundo empresa de pesquisas, em 2020, cerca de 30 bilhões de registros foram comprometidos em um período de 12 meses
Da Redação
30/03/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O ano passado registrou um número recorde de violações de dados em todo o mundo, apesar de ter havido aumento significativo nos gastos com segurança cibernética, de acordo com a Canalys. Segundo a empresa de pesquisas, 2020 foi marcado por uma forte expansão da violação de dados, com cerca de 30 bilhões de registros comprometidos em um período de 12 meses, mais do que o contabilizado nos 15 anos anteriores combinados.

Isso ocorreu apesar de os investimentos em segurança cibernética terem superado outros gastos com TI em 2020, totalizando US$ 53 bilhões globalmente, o que representa um aumento de 10% na comparação com o ano anterior.

A Canalys observa, porém, que outros segmentos, como continuidade de negócios e produtividade da força de trabalho, tiveram precedência sobre os gastos com segurança em razão da pandemia de covid-19.

A empresa de pesquisa estima que os gastos com serviços de infraestrutura em nuvem cresceram 33% em 2020, para US$ 142 bilhões, um aumento de US$ 45 bilhões em relação a 2019. Somente os serviços de software em nuvem (SaaS) aumentaram mais de 20% durante o mesmo período, de acordo com a Canalys.

As remessas de notebooks também tiveram um ano recorde, com aumento de 17%, e a previsão é que continuem crescendo neste ano. O negócio de webcams também cresceu. A Logitech, por exemplo, uma das líderes nesse segmento, registrou recorde de vendas, com aumento de 138% nos últimos quatro trimestres. O crescimento das vendas de roteadores Wi-Fi domésticos ultrapassou 40%, pois os funcionários remotos procuraram melhorar sua conectividade, enquanto as impressoras domésticas e a tinta se esgotaram.

Veja isso
Setor de cibersegurança fatura US$ 176,5 bi e deve crescer 12,5% em 5 anos
Setor de óleo e gás eleva gastos com cibersegurança

“A segurança cibernética deve estar à frente e no centro dos planos digitais, caso contrário haverá uma extinção em massa de organizações, o que ameaçará a recuperação econômica pós-covid-19. Um lapso no foco da segurança cibernética já está tendo grandes repercussões, resultando na escalada da atual de violação de dados e na aceleração dos ataques de ransomware”, salienta o analista-chefe da Canalys, Matthew Ball.

A Canalys diz que, durante 2020, os ataques de ransomware aumentaram, com consequências trágicas especialmente para os hospitais, um dos setores mais visados pelos criminosos cibernéticos. “Várias organizações de alto perfil globalmente também fecharam as portas em 2020 e as sobreviventes tiveram que implementar medidas de continuidade de negócios rapidamente em resposta à pandemia ou enfrentariam a ruína”, diz o relatório da empresa.

A empresa de pesquisas disse que isso geralmente ocorre às custas da segurança cibernética e ao contorno das políticas corporativas de longa data, deixando muitos expostos à exploração por agentes de ameaças altamente organizados e sofisticados, bem como outros hackers mais oportunistas.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório