Gangue vende dados roubados de pacientes da Change Healthcare

Entre os dados roubados estariam registros médicos e odontológicos, pedidos de pagamento, detalhes de seguros e informações pessoais como números de seguro social e endereços de e-mail
Da Redação
25/04/2024

A Change Healthcare, processadora de transações de cobrança do UnitedHealth Group, uma das maiores operadores de seguro saúde dos EUA, está enfrentando um novo pesadelo de cibersegurança depois que o grupo de ransomware RansomHub começou a vender o que afirma serem registros médicos e financeiros de americanos roubados da gigante da saúde.

Os dados roubados incluem registros médicos e odontológicos, pedidos de pagamento, detalhes de seguros e informações pessoais como números de seguro social e endereços de e-mail, de acordo com capturas de tela. 

O roubo e a venda de dados confidenciais de cuidados de saúde representam um novo drama à Change Healthcare, após o ataque cibernético ocorrido em fevereiro que paralisou as operações de pagamento da empresa e colocou o sistema de saúde dos EUA em crise.

A Change Healthcare reconheceu anteriormente que a gangue de ransomware conhecida como ALPHV/BlackCat violou seus sistemas e agora diz que está investigando as alegações do RansomHub sobre a posse dos dados roubados da empresa. Entre a grande variedade de dados que o RansomHub afirma ser da Change Healthcare estaria parte de um registro de banco de dados relacionado aos cuidados de saúde dos militares dos EUA.

Veja isso
Hackers cobram resgate de pacientes de cirurgia plástica
Funcionários de saúde holandeses venderam dados de pacientes covid-19

O RansomHub diz em seu fórum na dark web que as companhias de seguros que trabalharam com a Change Healthcare e tiveram seus dados comprometidos pagassem resgates para evitar a venda de seus registros. O grupo diz estar vendendo dados pertencentes à MetLife, CVS Caremark, Davis Vision, Health Net e Teachers Health Trust.Há a suspeita de que Change Healthcare tenha pagado um resgate de US$ 22 milhões à gangue ALPHV/BlackCat para que terabytes de arquivos roubados da instituição não fossem expostos. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias