França investiga sabotagem contra backbones de internet

Da Redação
01/05/2022

Por volta das 4 da manhã de terça-feira dia 26 de Abril, vários cabos de fibras ópticas da operadora francesa de internet fixa Free foram cortados em Paris simultaneamente: em três lugares de Île-de-France, e também em Fresnes-en-Woëvre (Meuse), Meaux e entre Souppes-sur-Loing (Seine-et-Marne) e em Le Coudray-Montceaux (Essonne). A operadora SFR, por sua vez, observou “vários cortes de fibra” em torno de Lyon e na Île-de-France. Os cabos eram cabos inter-regionais de “longa distância” que asseguram o fornecimento de sinal de fibra às principais regiões francesas. Como consequência: as falhas de conexão à Internet atingiram várias cidades como Grenoble, Reims, Besançon, Rennes, além de Paris e de Lille.

Os cortes causaram perda de conexão à internet ou lentidão na rede, principalmente no leste da França, afetando milhares de usuários. São cabos com um papel crucial para a ligação à Internet do público em geral, mas também para empresas ou serviços vitais, como os serviços de emergência. No final do dia de quarta-feira, as ligações foram restabelecidas, e estão em andamento trabalhos pesados ​​para reparar os cabos danificados. Uma investigação preliminar foi aberta por “danos à propriedade que possam prejudicar os interesses fundamentais da Nação”, “obstrução de um sistema automatizado de processamento de dados” e “associação criminosa”, anunciou a promotoria de Paris.

Veja isso
NSA espionou empresas de defesa escandinavas por vários anos
Distributed Denial of Service Attack (DDoS) com MPTCP

Os vândalos atacaram cabos essenciais na malha da infraestrutura da Internet na França. A rede de fibra de altíssima velocidade é baseada em vários cabos de “longa distância”, incluindo cabos submarinos, que despacham a conexão no território, antes de serem retransmitidos pelas infraestruturas locais. Esses cabos passam ao longo de rodovias, rios, linhas férreas. Eles são instalados no subsolo, mas em alguns lugares são acessíveis em caixas protegidas por simples chapas de ferro fundido.

No final do dia de quarta-feira, o site Zone ADSL tinha registado cerca de 10.000 avarias na Internet fixa da França em 24 horas, sobretudo nos clientes da operadora Free e em menor medida na SFR. Às 18h, as conexões foram “restabelecidas nas áreas afetadas”, segundo a Federação Francesa de Telecomunicações. Na quinta-feira, a Free informou que cerca de 100.000 de seus assinantes sofreram interrupções, ou “menos de 1% dos assinantes”.

Uma investigação preliminar foi aberta na quarta-feira pela promotoria de Paris. A Direção Geral de Segurança Interna (DGSI) e a Direção Central da Polícia Judiciária (DCPJ) foram responsáveis ​​pela realização das investigações. A investigação foi aberta por “deterioração de propriedade suscetível de prejudicar os interesses fundamentais da Nação”, “obstrução de um sistema automatizado de processamento de dados” e “associação criminosa”, anunciou a promotoria de Paris.

Compartilhar: