França acusa chineses de tentativa de hack por roteadores

Agência de segurança da informação francesa acusa hackers supostamente apoiados pelo governo chinês pelos ataques
Da Redação
23/07/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A Agência Nacional para a Segurança dos Sistemas de Informação (ANSSI) da França divulgou na quarta-feira, 21, que está lutando contra uma campanha massiva de tentativa de hacking, supostamente apoiada pelo governo chinês, que visa organizações do país por meio de roteadores comprometidos.

A ANSSI divulgou informações forenses para ajudar as organizações francesas a reconhecer se foram comprometidas. O alerta não especificou quais setores ou companhias específicas que foram alvos da campanha.

A agência disse apenas que o grupo APT31, também conhecido como Zircônio ou Panda do Julgamento, é o autor das tentativas de hacking. Os alvos anteriores do grupo incluem o parlamento da Finlândia, de acordo com comunicado de junho feito pelo Serviço Finlandês de Segurança e Inteligência, e a campanha presidencial do então candidato Joe Biden em 2020, de acordo com o Grupo de Análise de Ameaças do Google.

A ação do APT31 na França é “uma grande campanha de intrusão de compromisso que ainda está em andamento”, de acordo com uma versão em inglês do alerta feito pela ANSSI.

Veja isso
França e Ucrânia prendem membros do Egregor ransomware
EUA e aliados acusam China pelos ataques à Microsoft

A atribuição do hacking pela agência francesa a hackers apoiados pelo governo chinês vem a se somar a uma série de acusações recentes de governos estrangeiros de “malversação cibernética” pelo governo central de Pequim, que sempre nega irregularidades. Os Estados Unidos e a União Europeia acusaram nesta semana que hackers chineses apoiados pelo governo foram responsáveis ​​pelo hacking do Microsoft Exchange Server que abriu o caminho para ataques de ransomware em dezenas de milhares de organizações. A acusação foi acompanhada de um relatório técnico sobre o que as agências federais disseram ser uma agressiva campanha chinesa mirando o roubo de propriedade intelectual nos EUA.

Nesta semana, os EUA também revisitaram uma série de invasões em empresas de dutos, entre 2011 e 2013, para atribuir os ataques à China.

Neste ano, ANSSI também acusou a Sandworm, outro grupo de hackers de renome supostamente apoiado pelo governo da Rússia, pela violação a empresas francesas de hospedagem na web e de TI.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest