banner senha segura
senhasegura
electric grid

Fornecedores de OT chamados a aperfeiçoar segurança do grid nos EUA

Secretária de Energia, Jennifer M. Granholm, diz que o sistema de energia enfrenta níveis de ameaça “sem precedentes”
Da Redação
21/03/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O Escritório de Cibersegurança, Segurança Energética e Resposta de Emergência (CESER) do Departamento de Energia (DOE) dos EUA anunciou na semana passada três novos programas de pesquisa para proteger o sistema de energia do país de riscos cibernéticos e físicos. O objetivo é aumentar as proteções, abordando as vulnerabilidades de segurança da cadeia global de fornecedores, protegendo a infraestrutura crítica de interferências eletromagnéticas e geomagnéticas, “e construindo ainda um canal de pesquisa e de talentos para a segurança cibernética de próxima geração”. O CESER anunciou que nessa iniciativa entra a Schweitzer Engineering Laboratories, assim como já entrou a Schneider Electric. A Schweitzer, que é um grande fornecedor de equipamentos elétricos dos EUA, estará no Cyber Testing for Resilient Industrial Control System (CyTRICS).

A secretária de Energia, Jennifer M. Granholm, disse que o sistema de energia enfrenta níveis de ameaça “sem precedentes de hackers, atores estrangeiros e catástrofes naturais sobrecarregadas pela mudança climática – razão pela qual aumentar a segurança é uma prioridade para este governo”.

Veja isso
EUA lançam guia de cibersegurança em energia
EUA proíbem equipamento importado para o grid elétrico

Os três novos programas são os seguintes:

  • Proteger contra vulnerabilidades em tecnologias de origem global: o CESER está se unindo à Schweitzer Engineering Laboratories no programa Cyber Testing for Resilient Industrial Control System (CyTRICS), para usar análises de última geração no teste das várias ferramentas digitais usadas por parceiros do setor de energia para questões de segurança. O teste tornará mais fácil identificar e abordar vulnerabilidades potenciais nos sistemas de controle industrial antes que agentes mal-intencionados possam explorá-las.
  • Desenvolver soluções para interferência eletromagnética e geomagnética: Os participantes do setor de energia reconhecem que devem prever os riscos apresentados por ataques de pulso eletromagnético (EMP) e eventos de perturbação geomagnética (GMD) menos prováveis, mas igualmente devastadores – os quais podem sobrecarregar e danificar os sistemas de energia.
  • Manter pesquisas sobre soluções de segurança cibernética e adquirir os talentos necessários para implantá-las: Através da divisão Cibersegurança para Sistemas de Entrega de Energia (CEDS) da CESER, o DOE está aproveitando a capacidade das universidades americanas para desenvolver novas tecnologias de segurança cibernética e treinar a próxima geração de especialistas em segurança cibernética empregados pelo setor de energia.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório