Forcepoint expande nuvem a 160 pontos de presença

Paulo Brito
16/10/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A Forcepoint anunciou hoje que fez uma expansão da sua nuvem global. Isso permite, segundo ela, oferecer sua solução de segurança de nuvem em 160 pontos de presença (PoPs), distribuídos em 128 países. Segundo a empresa, isso representa mais de 65% de presença global e favorece empresas e agências governamentais com acesso seguro de conteúdo baseado na Web – isso inclui baixa latência, soberania de dados e localização de conteúdo.

O objetivo da Forcepoint com essa ampliação do serviço é garantir o atendimento dos clientes em segurança e ao mesmo tempo cumprindo as rigorosas exigências de privacidade e conformidade, sem comprometimento do desempenho ou da produtividade, esclarece o comunicado da empresa. “São mais de 35 PoPs na América Latina e Caribe. Isso representa menor latência nos serviços e melhor experiência de internet regionalizada” disse ao CISO Advisor Luiz Faro, diretor de engenharia da empresa para a América Latina.

“Em um mundo cloud-first, as pessoas são o novo perímetro. É por isso que estamos começando a ver cada vez mais irrelevantes os players de segurança mais antigos, que ainda adotam uma abordagem centrada na infraestrutura”, destacou Matthew Moynahan, CEO da Forcepoint. “Se o setor de segurança não se transformar para capacidades nativas de nuvem, ele também deixará de aproveitar esta oportunidade de negócios de transformação digital global, calculada em USD 100 trilhões. Utilizar recursos de cibersegurança avançados de cloud-first a nível corporativo como a faz a Forcepoint pode, de fato, ajudar as empresas a se destacarem e acelerar seus esforços de transformação digital.”

A solução Forcepoint Web Security, assegura a empresa, dispõe do mais abrangente nível de segurança do setor, incluindo duas certificações ainda não obtidas por outros fornecedores: a ISO 27018 (que rege as informações de identificação pessoal) e a Cloud Security Alliance (CSA) Star Gold, baseada no Código de Conduta da GDPR (que governa a segurança do software e as operações multifuncionais em uma configuração de nuvem).

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest