writing-1149962_1280.jpg

Forcepoint compra Bitglass, empresa de proteção de acesso

Esta é a terceira aquisição no ano da fornecedora de soluções de cibersegurança, já que no primeiro semestre ela comprou a Cyberinc e a Deep Secure
Da Redação
14/10/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A Forcepoint, empresa de segurança de dados e cibersegurança, assinou um acordo definitivo para adquirir a Bitglass, empresa de segurança de acesso à nuvem, ou security service edge (SSE). Em comunicado, a Bitglass diz tratar-se da única plataforma SSE integrada e nativa em nuvem do setor, garantindo o acesso e o uso de informações à medida que as organizações migram para a nuvem. Os termos financeiros do negócio não foram revelados. 

Esta é a terceira aquisição no ano da Forcepoint, já que no primeiro semestre ela comprou a Cyberinc e a Deep Secure.

A solução da Bitglass reúne o um corretor de segurança de acesso à nuvem (CASB), um gateway de segurança na web, um software de autenticação zero trust network access (ZTNA) e o cloud security posture management (CSPM), que permite aplicar processos para identificar e remediar de forma proativa os riscos de segurança na nuvem. Além disso, inclui recursos de prevenção de perda de dados (DLP) para permitir políticas uniformes de segurança para acessar a web, nuvem e datacenters privados, gerenciados através de um único centro.

Veja isso
Forcepoint Brasil cresce 70% no primeiro semestre 
Forcepoint adquire Cyberinc, empresa especializada em RBI

A nota diz que a plataforma SSE da Bitglass complementa a arquitetura SASE de dados da Forcepoint e acelerará os esforços da empresa de cibersegurança para facilitar a implementação e o uso de tecnologias avançadas de segurança de dados e proteção contra ameaças. O SSE representa a convergência de tecnologias para garantir o acesso e o uso de dados sensíveis e propriedade intelectual no tráfego web e em nuvem, bem como em aplicações privadas de datacenter. 

“Estamos trabalhando muito para oferecer as soluções inovadoras ao mercado de forma simplificada para que nossos clientes tenham apenas que se preocupar com o crescimento de seus negócios, e não com as constantes ameaças cibernéticas”, afirma Wagner Tadeu, vice-presidente da Forcepoint na América Latina.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)