FBI alerta viajantes sobre riscos do Wi-Fi aberto e gratuito

Da Redação
19/12/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Redes Wi-Fi gratuitas podem ser desprotegidas ou podem ser armadilhas de criminosos para capturar informações em aeroportos e outros pontos de afluência de viajantes

O FBI lançou esta semana um alerta sobre os riscos de conexão em wi-fi gratuito. A recomendação da agência é que os viajantes evitem conectar seu telefone, tablet ou computador a pontos de acesso sem fio gratuitos durante a temporada de férias. Falando sobre wifi gratuito em seu comunicado de imprensa semanal chamado Tech Tuesday, o FBI afirma que o uso de wi-fi gratuito “é um convite aberto a maus atores para acessar seu dispositivo. Eles podem carregar malware, roubar suas senhas e PINs ou até assumir o controle remoto de seus contatos e câmera”.

Se não houver outra opção, o FBI recomenda que se use a rede Wi-Fi pública de um hotel ou aeroporto mas seguindo as etapas de conexão do provedor, para evitar quaisquer pontos de acesso configurados por ‘atores’ mal-intencionados. Isso significa que nesses locais o acesso é feito em geral por meio de um formulário onde o visitante cadastra um mínimo de dados, geralmente apenas o seu endereço de e-mail. 

A nota do FBI diz que “quando você precisar usar um ponto de acesso gratuito e sem garantia, lembre-se de que a conexão com qualquer uma das suas contas pode permitir que hackers bisbilhotem na mesma rede para roubar suas credenciais de usuário ou informações bancárias. Como medida ainda mais simples para proteger suas informações confidenciais enquanto estiver conectado a um WiFi público, você pode usar um serviço de rede virtual privada (VPN) que criptografa seus dados, impossibilitando que os invasores de visualizarem seu tráfego na Internet”.

A agência também recomenda desativar os serviços de localização dos dispositivos e não compartilhar nenhuma informação sobre as viagens. Isso evita que os criminosos descubram que a pessoa não está em casa, podendo utilizar essa informação para outro crime.

Outra recomendação do FBI no mesmo comunicado é que os dispositivos da Internet das Coisas (IoT) e as TVs inteligentes estejam configurados e protegidos adequadamente contra possíveis invasores: “Dispositivos não seguros podem permitir que hackers acessem seu roteador, dando ao bandido acesso a tudo o mais que você achava seguro em sua rede doméstica”. 

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest