banner senha segura
senhasegura

Falta de mão de obra de cyber vai piorar na Inglaterra. Imagine aqui…

Pessoal de TI em geral só tem 10% do conhecimento necessário para trabalhar em segurança da informação
Da Redação
01/09/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A falta de mão-de-obra para segurança da informação não está melhorando – muito pelo contrário. O novo alerta vem agora da Inglaterra, onde a consultoria de talentos Robert Walters e a empresa de pesquisa de empregos Vacancysoft publicaram hoje um relatório mostrando que apenas uma fração dos especialistas em TI tem atualmente as habilidades mais solicitadas em vagas de segurança da informação.

Veja isso
Dois terços dos CISOs no mundo lidam com escassez de mão de obra
Falta de pessoal de cibersegurança afeta 70% das organizações

O cenário não é nada bom. O relatório afirma que metade das empresas do Reino Unido não tem recursos de segurança cibernética adequados para permitir o trabalho remoto de 100% dos seus funcionários. Por esse motivo, mais da metade (58 por cento) dos gerentes de RH estão procurando especialistas em segurança cibernética – mas apenas 10 por cento dos profissionais de tecnologia no Reino Unido se enquadram nos critérios exigidos.

Na Europa como um todo, o problema é ainda maior, já que 70% das empresas confirmam não terem uma equipe de segurança cibernética capacitada. No total, a Europa carece de cerca de 140.000 trabalhadores de segurança cibernética informa o estudo.

No Reino Unido, cerca de 43.000 pessoas trabalham atualmente como profissionais de cibersegurança em tempo integral, o que representa um aumento de 37% em relação a 2018. Neste ano, os volumes de trabalho de cibersegurança aumentaram 6%, apesar do bloqueio da Covid.

“A mudança para o trabalho remoto, compartilhamento de arquivos com base na nuvem, aumento nas chamadas de vídeo e transações sem dinheiro destacou para todas as empresas a importância da segurança de TI adequada, para permitir a continuidade dos negócios e proteção contra violações online”, afirmou Darius Goodarzi, diretor da Robert Walters.

Diariamente, há mais de 65 mil tentativas de ciberataques contra pequenas e médias empresas do Reino Unido, com cerca de 4.500 sendo bem-sucedidas a um custo de £ 2,48 milhões cada, afirma o estudo. Apesar disso, a segurança cibernética representa apenas 5,6% do gasto total de TI em uma empresa segundo a pesquisa.

Com agências internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Inscrição na lista CISO Advisor

* campo obrigatório