Exchange coreana UpBit é hackeada e tem prejuízo de US$ 52 mi

Maior operadora de câmbio de criptomoeda da Coreia do Sul notificou seus clientes sobre o roubo de 324 mil Ethereum de sua carteira online

cryptocurrency-3409658_640.jpg

A UpBit, maior operadora de câmbio de criptomoeda da Coreia do Sul em volume de negociação, notificou seus clientes sobre o roubo de 324 mil Ethereum de sua carteira online, conforme noticiou a InfoSecurity. A empresa emitiu comunicado aos clientes de suspensão temporária das operações na quarta-feira, 27.

O incidente foi confirmado por Lee Seok-woo, CEO da operadora da Upbit, a Dunamu. Em sua declaração, ele revelou que “por volta das 13h (horário local) da quarta-feira, 342 mil ETH (equivalentes a US$ 52) foram transferidos de uma carteira da UpBit para um destinatário desconhecido”.

Segundo ele, os clientes afetados terão suas perdas cobertas pela empresa, que transferiu todas as outras criptomoedas para uma carteira fria da UpBit para reforçar a segurança. Seok-woo estima que levará pelo menos duas semanas para que o depósito e a retirada sejam retomados.

O roubo da UpBit é o mais recente de uma longa lista de ataques cibernéticos bem-sucedidos visando operadoras de câmbio de criptomoedas nos últimos meses. Entre elas, estão a norte-americana Coinbase, que foi vítima de dois ataques, gerando perdas de US$ 1 milhão, e a Bitpoint, do Japão, que perdeu US$ 32 milhões, além da empresa de Cingapura Bitrue, que foi roubada de US$ 4,5 milhões, e a Binance, com sede em Malta.

No início deste ano, a Coréia do Norte foi responsabilizada pela ONU por usar hackers para desviar operações com criptomoedas, em uma tentativa de reforçar o cofre do estado, que passa por dificuldades financeiras. Dizem que o país obteve US$ 2 bilhões com esses ataques.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp