Europol fecha 50 plataformas de DDoS-as-a-service

Da Redação
16/12/2022

A Europol anunciou ontem que foram derrubados, como parte de uma ação internacional, cerca de 50 dos maiores serviços ilegais de disparo de dados do mundo, projetados para permitir que os usuários lançassem ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS) contra infraestrutura online crítica.

Esses serviços, conhecidos como ‘booter DDoS’, reduziram a barreira financeira para entrada no cibercrime: por uma valor de até € 10, qualquer pessoa pode lançar ataques DDoS com o clique de um botão, derrubando sites e redes com tráfego excessivo. 

Veja isso
DDoS contra servidor de game atingiu 2,5 Tbps
Presos suspeitos de DDoS contra provedores de acesso

Conhecida como Operação Power Off, contou com o apoio de autoridades dos Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, Polônia e Alemanha. Os serviços derrubados eram os mais populares do mercado, obtendo maior faturamento com sua divulgação nos mecanismos de busca. Um desses serviços desativados foi usado para realizar mais de 30 milhões de ataques.

Como parte desta ação, sete administradores foram presos até agora nos Estados Unidos e no Reino Unido, com novas ações planejadas contra os usuários desses serviços ilegais. O Centro Europeu de Cibercrime da Europol coordenou as atividades na Europa por meio de sua Força-Tarefa Conjunta de Ação contra o Cibercrime (J-CAT) . Essa varredura internacional segue as edições anteriores da Operação Power Off, que visavam os administradores e usuários do marketplace de DDoS “webstresser.org”.

Compartilhar: