igromania-1894847_1280.jpg

EUA prendem hackers ligados ao REvil e recuperam US$ 6 mi

Procurador-geral dos EUA indiciou um ucraniano e um russo pelo envolvimento nas operações do grupo de ransomware
Da Redação
09/11/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Autoridades americanas do Departamento de Justiça (DoJ), Tesouro e FBI anunciaram uma lista de ações tomadas contra alguns dos líderes do grupo de ransomware REvil, bem como a aplicação de sanções contra organizações que ajudam grupos a lavar dinheiro obtido ilicitamente.

Em entrevista coletiva na segunda-feira, 8, o procurador-geral dos EUA Merrick Garland anunciou o indiciamento do ucraniano Yaroslav Vasinskyi, de 22 anos, e do russo Yevgeniy Polyanin pelo envolvimento nas operações do REvil. Vasinskyi foi preso na Polônia no mês passado e agora enfrenta acusações pelo ataque à Kaseya, que infectou mais de mil empresas com ransomware.

O procurador geral disse que Vasinskyi — que atendia pelo nome de “Robotnik” — foi um dos cérebros por trás do ransomware REvil e está enfrentando um processo de extradição depois de ser preso pelas autoridades polonesas em 8 de outubro. Garland acrescentou que, embora Polyanin não tenha sido preso, ele também foi atingido por uma lista de acusações relacionadas a prática de hacking e teve US$ 6,1 milhões obtidos de pagamentos de resgate apreendidos por órgãos de aplicação da lei.

Veja isso
Mídia alemã identifica possível sócio do REvil
REvil é hackeado por forças policiais dos EUA e sai do ar

De acordo com o DoJ, além dos ataques contra Kaseya e a processadora de carne de origem brasileira JBS, o REvil é responsável por implantar seu ransomware em mais de 175 mil computadores. O grupo teria arrecadado ao menos US$ 200 milhões com resgates. Garland observou que Polyanin está associado a ao menos 3 mil ataques de ransomware.

“Os ataques de ransomware da Polyanin afetaram várias empresas e entidades nos Estados Unidos, incluindo agências de aplicação da lei e municípios em todo o estado do Texas. Polyanin acabou extorquindo aproximadamente US$ 13 milhões de suas vítimas”, disse Garland ao revelar as acusações aos dois hackers.

Garland, a procuradora-geral adjunta Lisa Monaco e o diretor do FBI Christopher Wray agradeceram repetidamente a Kaseya por ter feito o comunicado às agências de aplicação da lei quase imediatamente após descobrir o ataque. Todos os três observaram que a decisão rápida da empresa ajudou muito o FBI e outros a rastrear os pagamentos e ajudar outras vítimas. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)