code-4333398_1280.jpg

EUA oferecem US$ 10 milhões por pistas sobre hackers iranianos 

Quatro iranianos são acusados de invadir sistemas críticos dos Departamentos do Tesouro e de Estado e de dezenas de empresas privadas nos EUA
Da Redação
24/04/2024

Quatro iranianos foram indiciados no Tribunal Federal de Manhattan nesta terça-feira, 23, acusados ​​de conduzir uma sofisticada campanha de ciberespionagem visando departamentos do governo dos EUA, prestadores de serviços para área de defesa e empresas privadas.

Os acusados, que estão foragidos, são acusados ​​de atacar e invadir sistemas críticos dos Departamentos do Tesouro e de Estado e de mais de uma dúzia de empresas privadas nos EUA com acesso a informações relacionadas à defesa. Os quatro iranianos são acusados ​​de participar de uma operação de malware usando spear phishing e outras técnicas de hacking para coletar centenas de milhares de contas de funcionários corporativos.

“Durante suas campanhas contra uma vítima, o grupo comprometeu mais de 200 mil contas de funcionários. Em outra campanha, os hackers visaram 2 mil contas de funcionários”, disse o Departamento de Justiça.

O Departamento de Justiça acusou os iranianos de empregarem técnicas adicionais de engenharia social que incluíam a representação de mulheres para obter a confiança das vítimas. “Esses contatos de engenharia social foram outro meio de conspiração usado para implantar malware nos computadores das vítimas e comprometer esses dispositivos e contas”, acrescentou o órgão.

Veja isso
EUA oferecem recompensa de US$ 10 milhões por hacker russo
EUA e Reino Unido acusam chineses de espionagem global 

De acordo com a acusação, as vítimas do setor privado eram principalmente prestadores de serviços de defesa, que são empresas que receberam autorizações de segurança do Departamento de Defesa dos EUA para acessar, receber e armazenar informações confidenciais.

O grupo também foi acusado de ter como alvo uma empresa de contabilidade e uma empresa de hospitalidade, ambas com sede em Nova York.

Os hackers identificados na acusação são ligados à Organização Iraniana para Guerra Eletrônica e Defesa Cibernética (EWCD), braço do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC).

Juntamente com a divulgação da acusação, o Departamento de Estado anunciou uma recompensa de US$ 10 milhões por informações que levassem à captura dos hackers e o Departamento do Tesouro impôs sanções aos envolvidos. Com a agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias