control-center-1054460_1280.jpg

EUA, Japão, Índia e Austrália criam grupo de cibersegurança

Países que compõem a aliança informal chamada de Diálogo de Segurança Quadrilateral (Quad), criada para se contrapor à China, ratificaram o compromisso com a segurança cibernética
Da Redação
28/09/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Em reunião na sexta-feira, 24, os quatro países que compõem a aliança informal chamada de Diálogo de Segurança Quadrilateral (Quad, na sigla em inglês) ratificaram o compromisso com a segurança cibernética, ao anunciar um novo grupo dedicado a promover as melhores práticas e padrões de cibersegurança. Formado por Estados Unidos, Índia, Japão e Austrália, o grupo também reiterou a promessa de manter a região Indo-Pacífico livre e aberta, baseada em regras e leis internacionais, para reforçar a segurança, num claro recado à China.

O anúncio foi feito após a reunião presencial da qual, além do presidente dos EUA, Joe Biden, participaram os primeiros-ministros da Índia, Narendra Modi, do Japão, Yoshihide Suga, e da Austrália, Scott Morrison.

“Com base na colaboração de longa data entre nossos quatro países em segurança cibernética, o Quad lançará novos esforços para reforçar a resiliência da infraestrutura crítica contra ameaças cibernéticas, reunindo a experiência de nossas nações para impulsionar as melhores práticas nacionais e internacionais”, dizia nota conjunta divulgada pela Casa Branca.

Um briefing da Casa Branca sobre a cúpula dos líderes detalhou várias áreas de cooperação entre as quatro nações, desde combate à covid-19, mudanças climáticas e infraestrutura até tecnologias emergentes, espaço e segurança cibernética. Segundo o comunicado, “especialistas em nível de líderes se reunirão regularmente para avançar o trabalho entre o governo e a indústria na promoção de melhorias contínuas em várias áreas, incluindo a adoção e implementação de padrões cibernéticos compartilhados; desenvolvimento de software seguro; construção de força de trabalho e talento; e promoção da escalabilidade e da segurança cibernética de uma infraestrutura digital segura e confiável”.

Veja isso
Aliança internacional orientará conselhos em cibersegurança
OTAN adverte que considerará resposta militar a ciberataques

Ainda de acordo com o briefing houve também progresso em tecnologias críticas e emergentes que podem ter implicações de segurança cibernética, mais notavelmente um novo diálogo projetado para promover a implantação de RANs abertas (open radio access networks). O padrão aberto é visto como uma forma de reduzir a dependência de nações democráticas da infraestrutura 5G da China, o que levantou preocupações de segurança significativas no Ocidente.

O Quad também anunciou que estabelecerá novos “grupos de contato” focados no desenvolvimento de padrões e pesquisa para inteligência artificial (IA) e comunicações avançadas. Isso pode ser visto no contexto das preocupações de que os engenheiros chineses têm sido fundamentais na definição dos padrões 5G, fornecendo àquele país uma vantagem geopolítica potencial.

A notícia do Quad chega poucos dias depois que os EUA, Reino Unido e Austrália anunciaram o pacto AUKUS que prevê uma cooperação estreita entre as nações anglófonas em IA, computação quântica, segurança cibernética e muito mais. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest