usa-2018855_1280.jpg

EUA incluem empresas europeias de spyware na lista de restrições

Da Redação
20/07/2023

O Birô da Indústria e Segurança do Departamento de Comércio dos EUA adicionou dois fabricantes europeus de spyware comercial, a Cytrox e a Intellexa, à sua lista de restrições de comércio, citando riscos à segurança nacional. 

A Cytrox Holdings, com sede na Hungria, e a Cytrox AD, com sede na Macedônia do Norte, bem como a Intellexa S.A., com sede na Grécia, e a Intellexa Limited, com sede na Irlanda estão agora sob restrições de exportação e licenciamento e qualquer empresa americana que queira vender software para essas empresas será obrigada a obter autorização do BIS para fazê-lo.

Veja isso
EUA proíbem produtos da Huawei e ZTE por temer espionagem
SAP admite exportações ilegais ao Irã e faz acordo com Justiça dos EUA

As duas empresas foram banidas por “tráfico de exploits cibernéticos usados para obter acesso a sistemas de informação, ameaçando a privacidade e a segurança de indivíduos e organizações em todo o mundo”. A Cytrox foi vinculada ao spyware Predator, semelhante à de vigilância Pegasus do NSO Group, e a campanhas de hacking em massa. O spyware Predator é vendido pela Intellexa Alliance, um consórcio de fornecedores de spyware, que inclui a Nexa Technologies, WiSpear/Passitora, Cytrox e Senpai Technologies.

Uma proposta comercial vazada revelou que a Intellexa estava oferecendo serviços que incluem explorações de dispositivos Android e iOS por € 8 milhões. A proposta incluía dez infecções simultâneas para dispositivos iOS e Android, além de uma “revista de 100 infecções bem-sucedidas”. Os documentos também incluíam uma lista de dispositivos Android vulneráveis ao ataque.

Compartilhar: