cyber-4444450_640.jpg

EUA dizem que balão chinês integra programa de espionagem

Balão chinês abatido pelos EUA é parte de um programa de espionagem que visava mais de 40 países, declarou o governo Biden
Da Redação
12/02/2023

O balão chinês abatido pelos EUA estava equipado para detectar e coletar dados de inteligência como parte de um programa de espionagem aérea militar que visava mais de 40 países, declarou o governo Biden, citando a captura de imagens de aviões espiões americanos U-2.

Uma frota de balões operada pelo Exército da China é usada especificamente para espionagem, equipada com equipamentos de alta tecnologia projetados para coletar informações confidenciais de alvos em todo o mundo, disseram os EUA na quinta-feira passada, 9. Balões semelhantes já passaram por cinco continentes, de acordo com o governo americano.

Um alto funcionário do Departamento de Estado dos EUA, que forneceu detalhes por e-mail sob a condição de anonimato, ligou militares chineses à operação do balão, que foi abatido no fim de semana passado sobre o Oceano Atlântico. Os detalhes fornecidos por ele descrevendo o escopo e as capacidades do programa tiveram como objetivo refutar as persistentes negações da China de que o balão não foi usado para espionagem, dizendo inclusive que as acusações dos EUA equivalem a “guerra de informação”.

No Capitólio, a Câmara votou unanimemente para condenar a China por uma “violação descarada” da soberania dos EUA e esforços para “enganar a comunidade internacional por meio de falsas alegações sobre suas campanhas de coleta de informações”. Os republicanos criticaram o presidente Joe Biden por não agir antes para derrubar o balão, mas os legisladores de ambos os partidos se uniram na votação para condenar Pequim.

“Os EUA vão adotar ações contra entidades ligadas aos militares chineses que apoiaram o voo de um balão espião no espaço aéreo dos EUA na semana passada”, disse o Departamento de Estado.

Em Pequim, antes que os EUA fornecessem novas informações, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Mao Ning, repetiu a versão de que o grande balão não tripulado era um dirigível meteorológico civil que saiu do curso e que os EUA “exageraram” ao derrubá-lo. “É irresponsável”, disse Mao. “As últimas acusações”, disse ela, “podem ser parte da guerra de informação dos EUA contra a China”.

Ressaltando as tensões, o ministro da Defesa da China se recusou a receber um telefonema do secretário de Defesa, Lloyd Austin, para discutir a questão do balão no sábado, 11, disse o Pentágono. O secretário de Estado, Antony Blinken, cancelou uma viagem que faria neste fim de semana para Pequim.

Os EUA contradizem categoricamente a versão chinesa, dizendo que as imagens do balão coletadas pelos aviões espiões americanos U-2 ao cruzar o país mostraram que ele era “capaz de conduzir a coleta de sinais de inteligência” com múltiplas antenas e outros equipamentos projetados para enviar dados sensíveis, informações e painéis solares para alimentá-los.

Veja isso
RCE no Log4j é explorada por hackers apoiados pela China
MI5 e FBI explicam por que hackers espionam para a China

Jedidiah Royal, secretário assistente de defesa dos EUA para região Indo-Pacífico, disse a um subcomitê de apropriações do Senado que os militares têm “alguns palpites muito bons” sobre o que a inteligência chinesa estava buscando. Eles esperavam que mais informações fossem fornecidas em um ambiente confidencial.

De acordo com duas autoridades americanas, que falaram sob condição de anonimato, os esforços de recuperação dos balões foram temporariamente suspensos na quinta-feira devido às condições do mar. Eles disseram que alguns detritos do balão estavam intactos no fundo do oceano e que os mergulhadores recuperaram equipamentos potencialmente de alto valor no último dia e meio. Grande parte dos destroços está concentrada em duas seções separadas de uma área de 15 campos de futebol de comprimento e de largura.

O funcionário do Departamento de Estado disse que uma análise dos destroços do balão era “inconsistente” com a explicação da China de que era um balão meteorológico que saiu do curso. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias