cyber-security-1784985_640-e1571671407456.png

EUA ‘comemoram’ Outubro da Segurança Cibernética

Erivelto Tadeu
21/10/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Além da festejar o Halloween, empresas e órgãos do governo americano aproveitam o mês para despertar a conscientização sobre cibersegurança

Pelo décimo sexto ano consecutivo, a Agência de Cibersegurança e Infraestrutura de Segurança (CISA) e a Aliança Nacional de Segurança Cibernética (NCSA) dos Estados Unidos estão copatrocinando uma série de reuniões, sessões de treinamento, eventos e campanhas de conscientização sobre segurança cibernética. As iniciativas fazem parte do Mês Nacional de Conscientização sobre Segurança Cibernética (NCSAM, na sigla em inglês), popularmente chamado de Outubro da Segurança Cibernética.

O objetivo do movimento é aumentar a conscientização sobre a importância das melhores práticas de segurança cibernética, bem como sobre medidas para que as pessoas devem tomar para tornar suas casas e locais de trabalho mais seguros e protegidos.

Para as empresas, o NCSAM é particularmente importante por discutir maneiras de permanecerem seguras. Ou seja, o mês da consciência da cibersegurança é uma grande oportunidade para as organizações aumentarem a conscientização sobre a importância de tomar medidas de segurança cibernética para proteger seu o negócio, principalmente porque os ataques de hackers contra a infraestrutura crítica do país se tornaram uma ameaça constante.

O slogan do NCSAM deste ano é “TI própria. TI segura. Proteja a TI”. A intenção é que as pessoas assumam maior responsabilidade pelo treinamento e conscientização sobre segurança cibernética, a fim de ter uma experiência online segura. Nos últimos anos, a mensagem principal do NSCAM foi “Nossa responsabilidade compartilhada”, mas neste ano, a ênfase mudou para a responsabilidade pessoal.

O termo “TI própria” refere-se a todas as etapas que as pessoas devem seguir para proteger seus perfis em mídias sociais, bem como para se tornarem mais cientes sobre como a Internet das Coisas (IoT) pode impactar a segurança cibernética, além de terem mais interesse em discussões de privacidade online. Já o termo TI segura” refere-se a todas as medidas de segurança adicionais — como o uso de senhas mais fortes e autenticação multifatorial —, que as pessoas podem usar para se tornarem mais seguras e se protegerem contra hackers.

Finalmente, o “Proteja a TI ” refere-se a todas as etapas que as pessoas devem seguir para proteger a casa digital, como as redes Wi-Fi, e os dispositivos digitais no local de trabalho, como laptops.

No Brasil, não há notícia sobre nenhum movimento nesse sentido. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest