Ciberataque Irã

EUA veem risco a infraestruturas com ciberataques do Irã

Erivelto Tadeu
07/01/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Departamento de Segurança Interna alerta para risco de interrupção de infraestruturas críticas do país em potenciais ataques cibernéticos executados por hackers apoiados pelo Irã

Ciberataque Irã

O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos emitiu comunicado, por meio do Sistema Consultivo Nacional Contra o Terrorismo (NTAS, na sigla em inglês), alertando que potenciais ataques cibernéticos executados por hackers apoiados pelo Irã têm o risco de interromper infraestruturas críticas do país.

O boletim do NTAS descreve o atual cenário de ameaças após o ataque por drone feito pelos EUA que matou o comandante da Força Quds iraniana, o general Qassim Suleimani, na quinta-feira passada, 2, no aeroporto de Bagdá, no Iraque.

O alerta diz que “não há informações indicando uma ameaça específica e credível à pátria” no momento, mas o DHS também acrescenta que “um ataque ao país pode vir com pouco ou sem nenhum aviso”.

“O Irã e seus parceiros, como o Hizballah, demonstraram a intenção e a capacidade de conduzir operações nos Estados Unidos, com esforços anteriores que incluíam, entre outras coisas, observação e planejamento contra alvos de infraestrutura e ataques cibernéticos contra vários pontos baseados nos EUA”, prossegue o documento.

“Em tempos de ameaças intensas, as organizações devem aumentar o monitoramento, fazer backup de sistemas, implementar autenticação multifatorial e ter um plano de resposta a incidentes pronto”, aconselha o secretário interino Chad Wolf.

“O Irã mantém um programa cibernético robusto e pode executar ataques cibernéticos contra os Estados Unidos”, diz o alerta do DHS. “O Irã é capaz, no mínimo, de realizar ataques com efeitos disruptivos temporários contra infraestruturas críticas do país”.

Embora o alerta não mencione quais setores poderiam ser alvos de ataques, o site do DHS lista os 16 setores de infraestrutura críticos a seguir como vitais para os Estados Unidos.

Segundo o órgão, a interrupção ou destruição desses setores de infraestrutura “teria um efeito debilitante na segurança, segurança econômica nacional, saúde ou mesmo na segurança pública nacional”.

Embora o secretário interino tenha afirmado no comunicado que “neste momento não há ameaça específica e credível contra a pátria”, Christopher Krebs, diretor da Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura (CISA), emitiu um alerta sobre a possibilidade de ataques cibernéticos iranianos a alvos dos EUA. A CISA já havia alertado em junho de 2019 sobre o aumento da atividade cibernética maliciosa apoiada pelo Irã, empregando ferramentas destrutivas que visavam indústrias e órgãos governamentais dos EUA.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest