Espanha e EUA desmantelam quadrilha que roubou € 5 milhões

Gangue era especializada em golpes online, empregando engenharia social, phishing e smishing para coletar detalhes confidenciais das vítimas
Da Redação
13/02/2023

A Polícia Nacional da Espanha e o Serviço Secreto dos Estados Unidos desmantelaram uma quadrilha internacional de crimes cibernéticos com sede em Madri composta por nove membros que roubaram mais de € 5 milhões por meio de golpes a indivíduos e empresas norte-americanas.

A gangue era especializada em golpes online, empregando engenharia social, phishing e smishing para coletar detalhes confidenciais das vítimas e, em seguida, usar essas informações para cometer fraudes financeiras. A organização mantinha mais de cem contas bancárias em vários bancos espanhóis, que eram usadas para depositar os lucros provenientes do cibercrime, sacar dinheiro de caixas eletrônicos ou enviá-lo para contas internacionais ou convertê-lo em criptomoeda.

Como resultado da operação conjunta, a polícia prendeu oito pessoas na Espanha e uma em Miami, nos Estados Unidos. Além das detenções, a polícia apreendeu artigos de luxo avaliados em € 200 mil e congelou bens no valor de mais de € 500 mil.

Ataques de engenharia social

Os cibercriminosos contataram indivíduos e empresas na América do Norte por meio de e-mails de phishing e SMS. Eles seguiram com chamadas usando um número falsificado para fazer parecer que o chamador era uma entidade legítima.

Os criminosos enganavam as vítimas para que revelassem as suas informações confidenciais, permitindo-lhes realizar compras online ou transferir fundos diretamente das contas bancárias da vítima para as suas próprias na Espanha.

O anúncio da polícia diz que os bandidos roubaram cerca de € 5 milhões de 200 indivíduos e empresas em apenas um ano. No entanto, existem algumas indicações de que o valor total roubado pode exceder € 7 milhões.

O principal suspeito utilizou uma série de documentos de identidade falsos para controlar mais de cem contas bancárias nas quais o dinheiro roubado era depositado. Essas contas foram abertas sob o nome de outras pessoas, alguns colaborando diretamente com a quadrilha do crime, enquanto outros eram vítimas inocentes.

Os cibercriminosos então usaram os lucros para viajar pela Europa e Estados Unidos, adquirindo itens de luxo e abrindo contas bancárias adicionais para ajudar na lavagem de dinheiro. “A operação permitiu a desarticulação total da organização criminosa, com a detenção de todos os seus membros — oito em Madrid e um em Miami — e a apreensão de numerosos objetos de grande valor.

Veja isso
Europol prende quadrilha que aplicava golpes com criptomoedas
Interpol apreende US$ 130 mi de cibercriminosos em todo o mundo

Por outro lado, os agentes também bloquearam 74 contas bancárias, congelando bens por mais de 500 mil euros. No endereço cadastrado, a polícia da Espanha localizou uma área onde guardavam a mercadoria adquirida de forma fraudulenta ou o dinheiro dos golpes, de forma que parecia uma loja de artigos de luxo.

Segundo as autoridades espanholas, o cibercrime está aumentando no país, com um em cada cinco crimes acontecendo online. Em 2022, a polícia registrou 375.500 casos de crimes cibernéticos na Espanha, um aumento de 72% em relação a 2019 e de 352% em relação a 2015.

A polícia diz que um sinal claro de fraude é quando o chamador coloca a vítima em espera toda vez que fornece as informações solicitadas, pois está usando essas informações para fazer transferências de dinheiro em tempo real enquanto fala com a vítima. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar:

Últimas Notícias