castle-2070777_640-e1573087896205.jpg

Equipes de cyber perdem férias, eventos para tratar incidentes

Da Redação
24/04/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Pesquisa da Kaspersky mostra que os incidentes prejudicam a vida pessoal de funcionários envolvidos no problema, e que mais de 25% tiveram de cancelar as férias 

castle-2070777_640-e1573087896205.jpg

As violações de dados têm uma dimensão pouco abordada pelos especialistas porque não faz parte da segurança: é a dimensão humana desses acontecimentos, o reflexo na vida das pessoas, principalmente dos funcionários de empresas que sofrem vazamentos de dados. Uma pesquisa publicada pela Kaspersky ontem mostra que, para começar, 30% dos funcionários envolvidos no tratamento de um incidente perderam um evento pessoal importante, tiveram que trabalhar durante a noite (32%) ou sofreram estressores adicionais (33%), enquanto um quarto dos entrevistados teve que cancelar as férias (27%).

Por causa desses eventos, o equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional, a eficiência e a motivação é prejudicado pelo estresse,  com 76% dos funcionários apontando que isso afeta as relações pessoais e 16% relatando que até deixaram o emprego por causa disso. Para as empresas, o estresse dos incidentes pode criar uma diminuição geral na eficiência dos funcionários, afetando o desempenho dos negócios e, finalmente, levando a perdas financeiras.

Clique para ampliar

Um dos gráficos publicados na pesquisa mostra algumas das consequências pessoais que os gerentes de TI e de segurança relataram enfrentam após violações de dados. O estresse é novamente a origem mais provável da maior parte das consequências: exatamente 33% dos administradores sofreu muito mais estresse do que normalmente, independente do tamanho e da maturidade de TI da empresa.

Numa violação de dados, as equipes de TI e de segurança têm não só de investigar o incidente como, também, aplicar as atualizações, corrigir o sistema e tomar medidas para impedir que o ataque se repita. Por causa disso é que um terço dos gerentes informou ter trabalhado à noite ou feito horas extras (33% para PMEs e 32% para grandes empresas). Isso também resultou no adiamento de outras tarefas e perda de em mais de um quarto das PMEs (27%) e das grandes empresas (26%).

Para fazer download da pesquisa avance para a página ‘2’

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest