Equifax mostra em relatório sua maturidade em segurança

O relatório destaca as conquistas e inovações da empresa em segurança cibernética desde 2018
Da Redação
05/05/2021

A Equifax, um dos três maiores birôs de crédito dos EUA, e que em 2017 foi vítima de um vazamento que atingiu 147 milhões de clientes, publicou hoje pela primeira vez um sobre sua segurança. O documento se chama “Relatório Anual de Segurança 2020” e detalha a transformação pela qual a empresa passou nos últimos três anos. Os passos que a Equifax deu para reconstruir rapidamente toda a sua organização, da tecnologia à cultura, servem segundo ela como um modelo para outras organizações estabelecerem uma abordagem de “segurança em primeiro lugar” para manter o sucesso e proteger a si mesmas e a seus clientes.

Após sua própria violação em 2017 por um braço militar do governo chinês, a Equifax fez mudanças significativas para transformar sua segurança em toda a empresa. A empresa investiu US$ 1,5 bilhão nos últimos trÊs anos para reconstruir seu ambiente de segurança e tecnologia na nuvem, o maior investimento na história de 122 anos da empresa. A Equifax afirma que continua a manter o foco em investimento nos melhores processos, tecnologia e recursos para se defender contra ameaças futuras e proteger seus clientes e consumidores.

Veja isso
Militares chineses são acusados de hackear Equifax
Um ano de invasão da Equifax. Entenda como aconteceu

Uma parte importante do relatório mostra como a Equifax se compara aos benchmarks de serviços financeiros para maturidade de segurança, postura de segurança cibernética e conscientização de segurança do funcionário, entre outras coisas. Este benchmarking mede o progresso de como uma organização se adapta e gerencia riscos cibernéticos ao longo do tempo. A Equifax excede os benchmarks do setor de serviços financeiros em mais de uma categoria.

“Quando entrei para a Equifax em 2018, assumi o compromisso pessoal de construir uma cultura em que a segurança faça parte do nosso DNA e de estabelecer a Equifax como líder do setor em segurança de dados”, disse Mark Begor, CEO da empresa. “Nosso investimento de US$ 1,5 bilhão para transformar e reconstruir a base de nosso negócio foi projetado com a segurança em seu núcleo. Nosso programa de segurança nativo da nuvem nos permite fornecer envolvimento incomparável com o cliente com confiança e é um fator crítico para nosso desempenho recorde de negócios em 2020 e no primeiro trimestre de 2021”, afirmou.

Com agências internacionais

Compartilhar: