Empresas globais cortam orçamentos de segurança devido covid

Da Redação
07/05/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Pesquisa com mais de mil tomadores de decisão de negócios ilustra o impacto que a pandemia poderá ter na capacidade das organizações de combater ameaças

Mais de dois quintos (41%) das empresas globais cortaram orçamentos de segurança cibernética devido a pressões financeiras relacionadas a covid-19, de acordo com uma nova pesquisa da Barracuda Networks.

A pesquisa com mais de mil tomadores de decisão de negócios ilustra o impacto que a pandemia poderá ter na capacidade das organizações de combater ameaças, à medida que os hackers aceleram ataques a funcionários remotos e a infraestruturas.

Cerca de metade (51%) dos entrevistados disse ter verificado um aumento nos ataques de phishing por e-mail desde a mudança para o trabalho home office, e aproximadamente o mesmo número (49%) espera ser alvo de uma violação de dados ou incidente de segurança no próximo mês.

Veja isto
Orçamentos de cyber estão congelados nos níveis de 2018
GDPR em risco por escassez de recursos e especialistas

Estudo anterior da Barracuda revelou um aumento de 667% nos ataques de phishing com o tema covid-19 em apenas um mês, até o fim de março.

A rápida mudança para o trabalho em casa parece ter deixado algumas lacunas de segurança significativas para as organizações. Metade (51%) dos entrevistados concordou que sua força de trabalho não é proficiente ou treinada adequadamente sobre os riscos cibernéticos associados ao trabalho remoto de longo prazo.

Além disso, 46% disseram não estar confiantes de que seus aplicativos de web sejam realmente seguros e 50% estão permitindo que a equipe use endereços de e-mail e dispositivos pessoais para o trabalho.

A necessidade de incrementar a segurança nesse contexto é especialmente crítica para a estratégia de longo prazo, pois a pandemia está mudando a maneira como as empresas trabalham, diz o relatório da Barracuda. Mais da metade (56%) dos entrevistados disse que suas empresas planejam continuar com o trabalho remoto após o término da crise e 53% disseram que vão acelerar seus planos de migrar 100% para o modelo de nuvem.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest