Empresas de cyber sobrecarregadas com suporte

Segurança para o trabalho em home office está desafiando a área de suporte de empresas de segurança

Empresas de cibersegurança sobrecarregadas com suporte

O deslocamento de funcionários das empresas para suas casas trouxe enorme sobrecarga para as empresas de cibersegurança. Muitos clientes precisaram de ajustes, instalações e ouitras providências para que seus funcionários pudessem trabalhar à distância, mas em conexões e dispositivos seguros. Ontem à tarde, a Check Point Reseach observou que nas 24 horas anteriores, mais de 700 servidores do Outlook (OWA ou Outlook Web Application) se abriram para conexões na internet. No entanto, esse número cresceu mais ainda nas 24 horas seguintes: 2.549 outros servidores foram abertos.

Embora essa seja exatamente a finalidade da aplicação, é inegavelmente um aumento da superfície de ataque da empresa. Cláudio Bannwart, country manager da Check Point no Brasil, conta que além desse tipo de situação, as empresas enfrentam ainda outras preocupações em relação à segurança do acesso remoto: “Temos recebido muitas solicitações de auxílio de empresas de todos os portes e setores, para manterem sua força de trabalho em um ambiente seguro na VPN, no acesso remoto, no ambiente home office”.

Links relacionados:
Invasão de VPN buscou segredos da Airbus
Emotet lidera ataques no Brasil e no mundo

Para melhor proteferem os ambientes corporativos, Bannwart observa que agora todo cuidado é pouco: as empresas devem prestar atenção para o controle e proteção no armazenamento e no acesso aos seus dados, “seguindo melhores práticas como confiança zero no acesso, monitorando e controlando acessos por meio dos endpoints e dispositivos móveis, testando e comprovando a saúde da infraestrutura”, alerta e recomenda Bannwart.

Golpes com o Covid-19

Nikolaos Chrysaidos, Head de Segurança & Inteligência de Ameaças para Dispositivos Móveis da Avast, relembra que no mundo dos golpes online, nada é sagrado. Mesmo algo mortalmente sério como uma pandemia será explorado se alguém puder ganhar dinheiro com isso. “E com centenas de aplicativos dedicados às informações do COVID-19 se materializando na última semana, e com mais ainda a caminho, será cada vez mais difícil para o usuário diferenciar o bem do mal, o legítimo do malicioso, a verdade das mentiras simples”.  Até o momento, a Avast encontrou mais de 450 aplicativos relacionados ao coronavírus.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp