Empresa que paga certificação retém profissional mais tempo

Da Redação
15/12/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Essa é apenas uma das conclusões do ISC2 Cybersecurity Workforce Study, relativo a 2019. Outra é que o salário médio é de US$ 69 mil ao ano

Um total de dois terços dos profissionais de segurança cibernética (66%) dizem estar satisfeitos com seus empregos. E esse número salta para 72% entre os profissionais cujos empregadores pagam pelas suas certificações. Essas são apenas duas das conclusões do ISC2 Cybersecurity Workforce Study, relativo a 2019. Entre os profissionais cujas organizações pagam apenas parte ou nada dos seus custos de certificação, o índice de satisfação cai para 63%.

A descoberta é importante para os empregadores que estão tentando construir equipes de segurança cibernética. Atualmente, há uma escassez de 4 milhões de profissionais em segurança cibernética, de acordo com o estudo, e portanto, as organizações precisam fazer investimentos não apenas em estratégias de recrutamento para atrair candidatos a emprego, mas também no desenvolvimento de carreira para a equipe existente de segurança cibernética.

Um investimento que certamente trará resultados, elevando os níveis de satisfação, conforme indica o estudo, é aumentar as despesas de certificação. Isso eleva as chances de que os funcionários permaneçam mais tempo com suas organizações. Quando os trabalhadores obtêm do empregador o desenvolvimento de habilidades de que precisam, têm menos probabilidade de procurar emprego em outro lugar.

Melhores salários são nos EUA

Além das certificações, as organizações devem observar atentamente a remuneração oferecida ao recrutar profissionais de segurança cibernética. Embora os trabalhadores de segurança cibernética não sejam motivados principalmente pelo salário, oferecer salários competitivos certamente faz a diferença nos esforços de recrutamento e contratação. Tudo igual, é mais provável que um candidato aceite um emprego que pague um salário mais alto.

Globalmente, em média, os profissionais de segurança cibernética ganham US $ 69.000 por ano, segundo o estudo. Os empregadores norte-americanos pagam os salários mais altos, com uma média de US $ 90.000, e os mais baixos (com média de US $ 20.000) estão na América Latina. A média na Ásia-Pacífico e na Europa é de US $ 59.000 e US $ 58.000, respectivamente.

As certificações afetam o salário, de acordo com o estudo. Profissionais que possuem certificações de segurança cibernética ganham uma média de US $ 71.000, enquanto aqueles sem certificações ganham consideravelmente menos, em média (US $ 55.000).

Satisfação também com a carreira

Como uma medida de seus níveis de satisfação, 84% dos trabalhadores de segurança cibernética dizem que estão onde esperavam estar em suas carreiras. Essa é uma constatação especialmente reconfortante para os empregadores, porque também reduz as chances de perder profissionais de segurança cibernética para outra empresa.

Existem alguns desafios, no entanto, que os empregadores devem enfrentar. Por exemplo, 27% dos participantes do estudo dizem que não têm recursos para realizar seu trabalho com eficiência e 24% dizem que estão trabalhando com orçamentos de segurança inadequados. São questões que, além de certificações e compensações, podem ajudar a elevar os níveis de satisfação, se forem abordadas adequadamente.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest