Detido francês suspeito de vazar dados do Vakinha e do Hurb

Sébastien Raoult, um estudante francês de 21 anos, é buscado pela justiça americana suspeito de participar do grupo ShinyHunters
Da Redação
30/07/2022

A mídia da França informou que o estudante de ciência da computação Sébastien Raoult, de 21 anos, foi preso no aeroporto de Rabat, no Marrocos, por suspeita de ser um dos principais membros do grupo de hackers Shiny Hunters, o mesmo que vazou na dark web registros das empresas brasileiras Hurb (20 milhões de registros) e Vakinha (4 milhões). De acordo com o portal L’OBS, o estudante está agora detido na prisão de Tiflet 2, no Marrocos. Ele estaria na mira do FBI há vários meses, suspeito de ser “um dos membros importantes” do grupo de hackers ShinyHunters, que as autoridades americanas descrevem como “criminosos cibernéticos produtivos”.

Veja isso
Vazamento do Hurb expõe mais de 20 milhões de dados de clientes
Vazamento de dados do Vakinha expõe 4,8 milhões de registros de usuários

O suspeito é ex-aluno de ciência da computação da escola Epitech em Nancy (Meurthe-et-Moselle). No dia de sua prisão, o visto de três meses de Sébastien Raoult para turismo havia expirado, e ele estava prestes a pegar um vôo para Bruxelas no aeroporto de Rabat. Depois de apresentar seu passaporte à polícia, foi imediatamente detido por causa de um alerta vermelho da Interpol, emitido contra ele por um promotor do Estado de Washington, nos Estados Unidos.

O ShinyHunters apareceu na metade de 2020, quando o grupo colocou cerca de 200 milhões de dados roubados à venda na dark web depois de invadir os sistemas de TI de várias empresas ao redor do mundo. Nos EUA, Sebastian Raul enfrenta acusações que renderiam a ele 116 anos de prisão. Segundo seu pai, ele nega todas as acusações e afirma que suas contas foram usadas sem seu conhecimento. “Solicitar a transferência de um estudante para os Estados Unidos é efetivamente uma sentença de prisão perpétua, proibida pelo artigo 3 da CEDH (Convenção Européia de Direitos Humanos)”, disse o advogado de Raul, Philippe Ohayon.

Segundo o advogado, na França, Raul pode pegar no máximo 5 anos de prisão. Ele exige a extradição do estudante para a França.

Compartilhar:

Últimas Notícias