Ransomware-nudes-1.jpg

Ransomware tem aumento de 10% nas detecções em 2019

Da Redação
26/02/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Mais de 52 bilhões de ameaças cibernéticas foram bloqueadas em 2019, 61 milhões das quais eram ransomware, de acordo com relatório anual da Trend Micro

Ransomware-nudes-1.jpg

A Trend Micro bloqueou mais de 52 bilhões de ameaças cibernéticas em 2019, 61 milhões das quais eram ransomware, de acordo com seu relatório anual. A empresa de segurança cibernética revelou que o e-mail foi de longe o vetor de ameaça mais usado, respondendo por 91% de todas as ameaças. Ela detectou 15% mais ameaças de e-mail do que em 2018, incluindo um aumento de 5% nas detecções de comprometimento de e-mail comercial (BEC).

O levantamento da Trend Micro revela também que, embora as detecções de phishing tenham caído em 2018, o número de URLs (endereços de internet) exclusivas relacionadas ao Office 365 bloqueadas aumentou 100% em relação ao ano anterior.

Apesar do número de novas famílias de ransomware ter caído 55% em relação ao ano anterior, houve um aumento geral de 10% na detecção de novos componentes.

As vulnerabilidades críticas sempre foram uma das maiores fontes de risco cibernético e, em 2019, as coisas aumentaram ainda mais, com um aumento de 171% nas divulgações de alta gravidade de zero day initiative da Trend Micro.

Os dispositivos IoT também estavam na extremidade receptora de uma enxurrada de ataques acionados por redes de bots, direcionados a falhas nesses dispositivos, e a empresa também detectou um aumento de 189% nas tentativas de logons forçados destinados a terminais conectados.

A Trend Micro também detectou um aumento de 6% nos aplicativos maliciosos do Android para quase 32 milhões no ano passado, com muitos milhões de downloads vindo da loja oficial do Google Play.

O diretor global da Trend Micro, Jon Clay, argumentou que a transformação digital continua a abrir muitas portas para os cibercriminosos. “Apesar dos ideais predominantes de transformação digital, falta de higiene básica de segurança, sistemas legados com sistemas operacionais desatualizados e vulnerabilidades sem correção ainda são uma realidade.” “Esse cenário é ideal para atores de ransomware que buscam um rápido retorno do investimento. Enquanto o esquema de resgate continuar lucrativo, os criminosos continuarão a alavancá-lo”, acrescentou.

A Trend Micro recomenda segmentação de rede, backups regulares e monitoramento contínuo para ajudar a combater o ransomware, juntamente com outras práticas recomendadas, como atualizações regulares, patches virtuais e controles de acesso mais rígidos com autenticação multifator.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest