pixabay casa branca 1846270 640 white house

Departamento de Estado dos EUA sofre ciberataque

Não há detalhes mas o incidente noticiado pela Fox News não foi negado pelo governo americano
Da Redação
22/08/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O Departamento de Estado é a mais nova vítima de um ataque cibernético, segundo notícia publicada pela Fox Business News. A nota da publicação diz que fontes disseram haver uma possível violação, detectada pelo Comando Cibernético do Departamento de Defesa.

O incidente teria ocorrido cerca de duas semanas atrás – em meio aos esforços dos diplomatas para evacuar americanos e refugiados do Afeganistão. A extensão desse risco para as operações internas do Departamento permanece desconhecida, mas as autoridades insistiram que a invasão – descoberta pelo Comando Cibernético do Departamento de Defesa – não teve impacto em sua missão no Afeganistão.

Veja isso
Grupo por trás do hacking à SolarWinds ataca Microsoft
SolarWinds: invasão começou em 2019

Não é a primeira vez que o Departamento de Estado registra uma intrusão. Em novembro de 2014, o sistema de e-mail não classificado do Departamento foi comprometido. O fato aconteceu ao mesmo tempo em que uma rede da Casa Branca também era atingida por ataques segundo a mídia. E em dezembro de 2020 ele foi uma das dezenas de agências federais – e milhares de redes de dados privadas – atingidas pela violação maciça da SolarWinds, atribuída a hackers sediados na Rússia.

Ontem, um porta-voz do Departamento de Estado fez uma declaração sobre o assunto dizendo que “O Departamento leva a sério sua responsabilidade de salvaguardar suas informações e continuamente toma medidas para garantir que as informações sejam protegidas”. A fonte que deu a informção à Fox News não detalhou a extensão do problema. Mas um porta-voz do Departamento disse à agência Reuters que “o Departamento de Estado não experimentou interrupções significativas e não teve suas operações impedidas de forma alguma”.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest