technoid-2877987_1280.jpg

DDoS tira do ar bancos e correio na Nova Zelândia

Especialistas do Cert-NZ informaram que os ataques foram coordenador e disparados por botnets
Paulo Brito
08/09/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A equipe de resposta a emergências de computador do governo da Nova Zelândia, o CERT NZ, confirmou na manhã de hoje que houve vários ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS) contra organizações locais, principalmente do governo. Apesar do problema, o governo não entrou em alerta máximo. O National Cyber Security Center também não foi acionado assim como o sistema de segurança nacional.

Os clientes do ANZ Bank relataram não conseguir acessar suas contas. O Kiwibank também teve problemas intermitentes com seu site, internet banking, aplicativo e banco por telefone, mas solucionou o problema.

Diz um post do CERT NZ: “O CERT NZ está ciente de um ataque de um DDoS visando várias organizações da Nova Zelândia. Estamos monitorando a situação e trabalhando com as partes afetadas onde podemos”. Os Correios da Nova Zelândia e a Receita Federal informaram que o outage estava sendo investigado.

O site da receita voutou ao ar novamente, enquanto o New Zealand Post (correio) esteve intermitente.

O serviço nacional de meteorologia, MetService, também foi atingido: mas o MetService conseguiu direcionar os usuários ao seu site de backup, que contém informações importantes, incluindo relógios meteorológicos, avisos e imagens de radar de chuva, ao mesmo tempo em que trabalhava para colocar seu site principal em funcionamento.

Veja isso
Bolsa da Nova Zelândia fora do ar por dois dias vítima de ataque de DDoS
Banco Central da Nova Zelândia comunica violação de dados

Na sexta-feira dia 3 de setembro, o provedor de infraestrutura de internet Vocus foi também atingido por um ataque DDoS , que causou interrupções em todo o país. No ano passado, a bolsa de valores e o MetService foram atingidos por atacantes cibernéticos.

O Ministro David Clark, que é responsável pela economia digital e pelas comunicações, disse que foi informado de que o CERT está ciente de “várias” organizações que foram afetadas. “Neste momento, os esforços para averiguar o impacto deste incidente estão em andamento. Não vou me antecipar a esse processo ”, disse Clark, em um comunicado. “O CERT me garante que está se envolvendo ativamente com as partes afetadas para entender e monitorar a situação.” O mandato do CERT é aconselhar empresas e organizações governamentais como responder a tais ataques e evitá-los. Ele também se conecta a outras agências governamentais, como o National Cyber Security Center (NCSC) e a polícia,.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest