DDoS quase para operações de TI do governo belga

O ataque afetou o provedor de serviços de Internet Belnet, financiado pelo estado, que é usado por agências governamentais
Da Redação
05/05/2021

Grande parte da rede de TI do governo belga foi desligada ontem em um ataque DDoS massivo, tornando seus sistemas internos e sites públicos inacessíveis. O ataque foi feito sobre o provedor de serviços de internet Belnet, uma empresa controlada pelo governo belga, que é usado por agências governamentais, incluindo o parlamento, instituições educacionais, ministérios e centros de pesquisa. O incidente afetou o trabalho de mais de 200 organizações, em particular o portal oficial de declaração de impostos My Minfin e os sistemas de TI usados ​​por escolas e universidades para ensino à distância. O Ministério da Justiça da Bélgica também relatou problemas de funcionamento em seus sistemas, mas não forneceu detalhes.

Os alertas da Belnet indicaram que foram vários ataques, em ondas sucessivas. A empresa conseguiu pouco a pouco reduzir o efeito deles por meio do acréscimo de novas regras para a filtragem e descarte de pacotes de dados. A situação só se estabilizou por volta das 17h de ontem. Hoje a empresa anunciou que está adotando uma solução de longo prazo, possivelmente a contratação de um provedor com um scrubbing center de grande capacidade.

Veja isso
Vulnerabilidade expõe vários produtos da Cisco a ataques DDoS
33 milhões de servidores Microsoft RDP vulneráveis sob ataque de DDoS

O portal de reservas de vacinas COVID-19 hospedado pela Belnet não estava disponível no dia de ontem. Eventos do Parlamento e de outros organismos governamentais foram interrompidos; algumas reuniões, por exemplo, não puderam ser feitas porque os participantes remotos não conseguiam conexão com a rede do governo. Conforme relatado na Câmara dos Representantes da Bélgica, apenas o Comitê de Finanças e o de Relações Internacionais conseguiram realizar uma reunião, sendo que as demais tiveram de ser canceladas devido aos ataques DDoS.

Vários políticos e observadores políticos belgas assinalaram que o ataque começou na mesma época em que a Comissão de Relações Exteriores do Parlamento belga deveria se reunir e ouvir depoimentos em um caso.

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Últimas Notícias