Botnet-e1571096477448.jpg

DDoS de 3,47 Tbps registrado pela Microsoft

Acredita-se que este ataque, destinado a um dos clientes do Azure da Microsoft na Ásia, seja o maior já visto até hoje
Da Redação
27/01/2022

A Microsoft publicou na terça-feira dia 24 de janeiro um relatório sobre os problemas com DDoS nos dois últimos trimestres de 2021. O pior deles foi um ataque cujo volume alcançou 3,47 Tbps. Em outubro, a empresa informou que um de seus clientes da Azure havia sido atingido por um ataque DDoS que com pico de 2,4 terabits por segundo (Tbps) , que na época era um dos maiores ataques já relatados.

Veja isso
Amazon comunica ter mitigado o maior dos DDoS: 2,3 Tbps
Empresa consegue mitigar ataque DDoS de 2 Tbps

No entanto, em novembro e dezembro de 2021, a equipe de proteção contra DDoS do Azure viu ataques ainda maiores, incluindo um que atingiu o pico de 3,47 Tbps e uma taxa de pacotes de 340 milhões por segundo (pps).

Acredita-se que este ataque, destinado a um dos clientes do Azure da Microsoft na Ásia, seja o maior já visto até hoje. O ataque recorde foi alimentado por 10.000 fontes de todo o mundo. Outro ataque atingiu o pico de 3,25 Tbps e um terceiro atingiu o pico de 2,55 Tbps – ambos foram direcionados a organizações não identificadas localizadas na Ásia.

No segundo semestre de 2021, a Microsoft mitigou quase 2.000 ataques DDoS por dia, o que representou um aumento de 40% em relação ao primeiro semestre do ano. O número total de ataques direcionados aos clientes da empresa no segundo semestre foi de aproximadamente 360.000 ataques únicos.

“Curiosamente, não houve tanta concentração de ataques durante as festas de fim de ano em comparação com os anos anteriores”, disse a Microsoft. “Vimos mais ataques no terceiro trimestre do que no quarto trimestre, com a maioria ocorrendo em agosto, o que pode indicar uma mudança para os invasores agindo durante todo o ano – não é mais a temporada de festas de fim de ano a proverbial temporada de DDoS! Isso destaca a importância da proteção contra DDoS durante todo o ano, e não apenas durante as estações de pico de tráfego.”

Em termos de vetores de ataque, os ataques UDP foram os mais comuns no segundo semestre de 2021, representando 55% dos ataques, seguidos pelos ataques TCP, que diminuíram de 54% para 19%. A indústria de jogos foi a mais atingida, mas a Microsoft relatou ter visto um aumento nos ataques a instituições financeiras, mídia, ISPs, varejo e organizações da cadeia de suprimentos. Mais da metade das organizações visadas estavam nos Estados Unidos, seguidos pela Índia e Leste Asiático.

Quanto à duração, a gigante da tecnologia relatou ter observado um aumento significativo nos ataques com duração superior a uma hora. Veja os gráficos:

Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Últimas Notícias