Darpa lança programa para evitar ataques a headsets de soldados

Agência responsável por projetos de pesquisa avançada ligada ao Departamento de Defesa dos EUA, está lançando um programa para evitar “ataques cognitivos” a headsets de realidade mista usados por soldados
Da Redação
13/10/2023

A Darpa, agência responsável por projetos de pesquisa avançada na área de defesa ligada ao Departamento de Defesa dos EUA, está lançando um programa para evitar “ataques cognitivos” a headsets de realidade mista que poderiam, em teoria, paralisar combates quando implantados em dispositivos de soldados.

O programa de Segurança Cognitiva Intrínseca (ICS) foi aberto esta semana para um concurso, que terá um dia, em 20 de outubro, dedicado para que os proponentes tomem conhecimento do desafio. Nesse dia, funcionários da Darpa informarão aos licitantes o que exatamente querem de um sistema ICS que proteja os headsets contra ataques que possam afetar a cognição dos soldados.

De acordo com comunicado da Darpa, ataques cognitivos são definidos como qualquer ação que “explore a conexão íntima entre usuários e equipamentos de realidade mista (RM)”. Esses ataques têm muito em comum com ataques cibernéticos típicos, como inundação de informações para forçar latência, injeção de dados virtuais ou interrupções de redes de área pessoal (PAN), que conecta dispositivos eletrônicos dentro da área imediata de um usuário.

Os ataques cognitivos vão além de apenas interromper os fones de ouvido MR e também podem incluir ações como plantar objetos do mundo real para sobrecarregar as telas, usar objetos físicos para causar alarmes falsos e usar rastreadores oculares para avaliar o que um usuário está fazendo. O resultado final, em última análise, é um soldado com um fone de ouvido que está enviando informações ruins ou um hardware que se tornou tão lento que os torna enjoativos e incapazes de funcionar.

“A principal hipótese técnica do programa é que os métodos formais podem ser estendidos com garantias cognitivas e modelos para proteger os usuários de realidade mista de ataques cognitivos”, disse a Darpa ao anunciar o concurso.

Veja isso
PC isolado vulnerável a roubo de dados por onda eletromagnética
Hackers exploram storage MinIO para violar redes corporativas

Os métodos formais “são abordagens rigorosas baseadas na matemática para fornecer garantias sobre sistemas baseados em computadores”, de acordo com a Darpa. Para estender isso ainda mais, a Nasa observa que os métodos formais “fornecem um meio de examinar simbolicamente todo o espaço de estado de um projeto digital [seja hardware ou software] e estabelecer uma propriedade de correção ou segurança que seja verdadeira para todas as entradas possíveis”.

Em outras palavras, a Darpa quer representar matematicamente modelos cognitivos de “percepção, ação, memória e raciocínio humanos” e descobrir como construir alguma forma de proteção universal contra ataques cognitivos. 

A Darpa é mundialmente conhecida pelo desenvolvimento do projeto Arpanet, precursor da internet moderna. Foi a primeira rede de comunicações baseada em pacotes, estabelecida na década de 1960, e se tornou a base para a criação da internet que conhecemos hoje. Com agências de notícias internacionais

Compartilhar:

Últimas Notícias