Cryptojacking eleva conta de nuvem a US$ 760 mil

Crime foi atribuído a dois iranianos, indiciados pela justiça federal dos EUA por terem se aproveitado da nuvem de uma empresa sem autorização
Da Redação
06/12/2021

Dois cidadãos iranianos foram indiciados no Tribunal Distrital dos EUA em St. Louis (Missouri) e acusados ​​de sequestro de computadores para minerar criptomoeda, segundo a promotoria. Eles teriam utilizado com intensidade os recursos de nuvem de várias empresas da cidade de St. Charles, uma das quais acabou recebendo do seu provedor de nuvem (não identificado publicamente) uma conta mensal que passou de US$ 760 mil, muito superior ao total normalmente cobrado.

Segundo a promotoria, os dois iranianos se passaram por funcionários dessa empresa e assim enganaram o provedor de serviços em nuvem, para que ele instalasse pelo menos cinco servidores de computador para uso exclusivo da empresa. Por causa disso a conta mensal superou US$ 760.000 pelo uso intensivo dos servidores em cryptomining, disseram os promotores.

Veja isso
Cryptojackers alvejam Alibaba Cloud para minerar criptomoeda
Esquema CryptoRom para iPhone rouba quase US$ 1,4 mi

Os acusados foram Danial Jeloudar e Saeeid Safaei: ​​na quarta-feira dia 1 de dezembro foram indiciados por conspiração para cometer fraude eletrônica. A Justiça acredita que ambos vivam fora dos EUA.

Richard Quinn, chefe do escritório de St. Louis do FBI, disse em um comunicado que foi o primeiro caso de criptojacking a ser processado no leste do Missouri.

Funcionários recomendaram práticas de segurança aprimoradas para prevenir ou detectar crimes de computador, incluindo o uso de autenticação de duas etapas ou dois fatores, auditorias de armazenamento em nuvem e monitoramento de log-ins para detectar fraudes antecipadamente.

Compartilhar:

Últimas Notícias