Oscilação de ações vira arma de pressão do cibercrime

Relatório do FBI mostra que grupos de ransomware focam em empresas em preparativos para eventos financeiros importantes
Da Redação
02/11/2021
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

O FBI considera que os atores de ransomware estão de olho em eventos financeiros significativos, como fusões e aquisições, para escolher as empresas vítimas de seus ataques. Antes disso, eles pesquisam informações publicamente disponíveis, como a avaliação das ações da vítima, bem como informações materiais não públicas. Se as vítimas não pagarem o resgate rapidamente, os atores do ransomware ameaçarão divulgar essas informações publicamente, causando uma reação desfavorável dos investidores e prejudicando o valor das ações da empresa nas bolsas de valores.

“Eventos iminentes que podem afetar o valor das ações da vítima, como anúncios, fusões e aquisições, encorajam os agentes do ransomware a direcionar uma rede ou ajustar seu cronograma para extorsão onde o acesso já foi obtido”, diz o FBI.

No relatório, o FBI publicou quatro exemplos de situações exploradas dessa maneira. Numa delas, no início de 2020, um operador de ransomware usando o apelido de “Unknown” fez no “Exploit”, um fórum de cibercriminosos que opera em russo, um post incentivando o uso de informações da NASDAQ para orientar o processo de extorsão.

Veja isso
Aquecimento do mercado impulsiona fusões e aquisições no setor
NovaRed conclui aquisição da Etek NovaRed no Brasil

Depois dessa postagem, atores de ransomware não identificados que estavam negociando um pagamento com uma vítima durante um incidente de ransomware em março de 2020 declararam: “Também notamos que você tem ações. Se você não nos envolver para a negociação, vazaremos seus dados para a Nsdaq e veremos o que vai (sic) acontecer com suas ações”.

O alerta está num relatório publicado ontem pela agência em https://www.ic3.gov/Media/News/2021/211101.pdf

Com informações da assessoria de imprensa

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

ATENÇÃO: INCLUA [email protected] NOS CONTATOS DE EMAIL

(para a newsletter não cair no SPAM)