connection-4884862_640.jpg

Crescem ameaças cibernéticas com coronavírus

Da Redação
19/03/2020
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Códigos de desconto COVID-19 promovem serviços para invadir o Facebook e o Chrome

connection-4884862_640.jpg

Enquanto o mundo está lutando para conter o surto do novo coronavírus (Covid-19), com os efeitos dessa ameaça afetando não apenas a saúde, o trabalho e a economia, mas também o mundo digital. Pesquisadores de segurança da Check Point Software alertam que cibercriminosos estão vendendo malware malicioso e explorando ferramentas por meio dos códigos de desconto “COVID-19” na dark web.

Os pesquisadores apontam que, assim como os descontos para Black Friday ou Cyber Monday, os cibercriminosos estão aproveitando a situação atual para espalhar malware rapidamente por meio de descontos, ofertas e criação de domínios relacionados ao Covid-19. “Vimos um aumento substancial no número de domínios relacionados ao coronavírus registrados nas últimas semanas”, afirma Yaniv Balmas, chefe de pesquisas cibernéticas da Check Point.

Kit de invasão com 15% de desconto

No exemplo a abaixo, os pesquisadores encontraram um grupo que oferece serviços para invadir contas do Facebook, com taxa de desconto por meio do código COVID-19. Dedicado a “fornecer os melhores serviços de hackers”, o grupo assume o apelido de SSHacker e atua desde 2005.

Desde a publicação das primeiras notícias sobre o Covid-19, os cibercriminosos começaram a aproveitar o interesse da mídia em todo o mundo para espalhar ameaças. Desde o início de janeiro, mais de 16 mil novos domínios relacionados ao coronavírus foram registrados e, nas últimas três semanas, houve um crescimento exponencial: quase dez vezes mais.

Notícias veiculadas nos últimos dias mostram uma recuperação no número de domínios criados em apenas uma semana (6 mil), o que representa um aumento de 85% em relação às semanas anteriores. Acrescente-se a esse fato que cerca de 20% dos domínios (mais de 2,2 mil) foram classificados como potencialmente perigosos. O gráfico abaixo mostra uma comparação entre os dados gerais de pesquisa de coronavírus do Google Trends e as tendências que a Check Point detectou nas redes sociais sobre cibersegurança e cibercrime. 

Covid-19, o novo gancho para cibercriminosos

As redes sociais tornaram-se uma das principais fontes de infecção dos usuários da internet, especialmente com anúncios de descontos especiais por ocasião do Covid-19. Os especialistas da Check Point descobriram que os cibercriminosos lançam campanhas com mensagens como “Desconto para Coronavírus! 10% de desconto em todos os produtos”, ou ofertas incríveis que disponibilizam aos usuários um dos mais recentes modelos de Mac, o MacBook Air, por um preço irresistível. No entanto, eles alertam que ofertas dessa magnitude não são plausíveis.

Diante disso, para evitar ser vítima de golpes on-line, a empresa recomenda:

1. Ter cuidado com e-mails e anexos provenientes de remetentes desconhecidos, especialmente quando eles oferecem descontos especiais.

2. Não abrir anexos desconhecidos ou clicar em links de e-mail. 3. Verificar se as compras são feitas em sites confiáveis e autênticos. Para fazer isso, em vez de clicar nos links promocionais dos e-mails, pesquisar no Google a loja on-line desejada e clicar no link na página de resultados.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest