CPqD apresenta metodologia de avaliação de risco em IoT

Da Redação
10/12/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Apresentação será no simpósio TRON – Super & Safe City, em Tóquio, durante uma sessão técnica patrocinada pelo IEEE Consumer Electronics Society abordando IoT, IA, open data e sistemas embarcados

Emílio Nakamura, do CPqD

O CPqD vai apresentar no simpósio internacional TRON – Super & Safe City, que acontece nesta semana (entre amanha e sexta-feira) em Tóquio, uma nova metodologia para avaliação de riscos em sistemas IoT. A apresentação será feita pelo engenheiro Emílio Nakamura, especialista em segurança da informação, durante uma sessão técnica patrocinada pelo IEEE Consumer Electronics Society. A sessão irá abordar as mais recentes pesquisas nas áreas de Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, open data e sistemas embarcados.

“Sistemas IoT são formados pela integração de diferentes componentes, conduzindo a uma fusão físico-cibernética que possui riscos associados não apenas às informações mas, também, aos dispositivos físicos, às operações e aos seres humanos”, afirma Nakamura. “A avaliação de riscos é imprescindível não só para a adoção de sistemas IoT como também para o desenvolvimento e definição de elementos específicos, como sensores ou plataformas. Do ponto de vista de quem implementa e utiliza o sistema IoT, a escolha de atuadores e plataformas deve ser feita de acordo com o cumprimento dos requisitos fornecidos pela avaliação de riscos, levando em conta cada contexto de uso”, acrescenta.

Com base nessas premissas, a metodologia para avaliação de riscos em sistemas IoT do CPqD abrange uma série de aspectos: contexto de uso; identificação de pontos de ataques; mapeamento de ameaças; mapeamento de privacidade, segurança, proteção, resiliência e confiabilidade; identificação de vulnerabilidades; estimativas de probabilidade e de impacto; cálculo da matriz de riscos, priorização de controles de segurança e definição de plano de ação. 

O trabalho a ser apresentado no evento no Japão aborda os resultados da utilização dessa metodologia no projeto OCARIoT, que vem sendo desenvolvido pelo CPQD em parceria com outras instituições do Brasil e da Europa, dentro dentro do programa Horizonte 2020 (H2020), da União Europeia. O objetivo desse projeto, que tem foco na prevenção de casos de obesidade infantil, é desenvolver uma solução de coaching personalizado baseada em IoT que orientará as crianças a adotar uma alimentação saudável e atividades físicas. “Aplicamos a nova metodologia para a escolha dos sensores, responsáveis pela coleta das informações, e também da plataforma IoT para esse projeto”, revela Nakamura.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest