Covid-19: Interpol fecha sites que vendiam produtos falsificados

Polícia internacional anunciou a apreensão de 34 mil máscaras cirúrgicas falsificadas, além do confisco de “sprays contra o corona” e “medicamentos para coronavírus”, e o fechamento de mais de 2.500 páginas na web anunciando a venda desses itens

chemistry-4932607_640.jpg

A Interpol anunciou a apreensão global de milhares de suprimentos médicos e farmacêuticos falsificados, que tiveram um aumento acentuado na demanda em decorrência da pandemia do coronavírus (Covid-19).

A polícia internacional afirmou em uma atualização no fim de semana passado que o mais recente avanço da Operação Pangea, iniciada há dez anos, havia dado novos frutos. Ele anunciou a apreensão de 34 mil máscaras cirúrgicas falsificadas, além do confisco de “sprays contra o corona” e “medicamentos para coronavírus”, e o fechamento de mais de 2.500 páginas na web anunciando a venda desses itens.

A operação teve início na semana de 3 a 10 de março e registrou um aumento de 18% nas apreensões de medicamentos antivirais não autorizados na comparação com o mesmo período de 2018. A Interpol disse ainda que houve um aumento de 100% nas apreensões de medicamentos antimaláricos não autorizados, como a cloroquina.

“Mais uma vez, a Operação Pangea mostra que os criminosos não param por nada para obter lucro”, destacou o secretário geral da Interpol, Jürgen Stock. “O comércio ilícito de itens médicos falsificados durante uma crise de saúde pública mostra seu total desprezo pelo bem-estar ou pela vida das pessoas.”.

No total, as autoridades alfandegárias e regulatórias globais inspecionaram 326 mil pacotes e apreenderam 48 mil. Juntamente com os itens relacionados ao Covid-19, houve descobertas de grandes volumes de vitaminas, pílulas de disfunção erétil, medicamentos anticâncer, agentes hipnóticos e sedativos, esteróides anabolizantes e muito mais.

A Interpol alertou que muitas vezes as versões não autorizadas contêm a quantidade errada de ingrediente ativo ou são itens genuínos, mas foram roubados e armazenados de forma inadequada ou a data de validade expirou. A Europol, que participou da operação, afirma que 37 grupos do crime organizado haviam sido desmantelados, 13 milhões de euros (o equivalente a US$ 14 milhões) em produtos farmacêuticos potencialmente perigosos foram apreendidos, 121 detenções realizadas e um total de 4,4 milhões de unidades apreendidas.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp