Consumidores pedem mais proteção para seus dados

96% dos consumidores pesquisados no Brasil querem que as organizações façam mais para protegê-los. Nos demais países, mais da metade dos entrevistados concorda com essa afirmação

Um estudo feito pela consultoria The Harris Poll por encomenda da IBM mostra que no mundo inteiro os consumidores estão querendo que as organizações ofereçam mais transparência e controle sobre os dados que coletam de cada um. O estudo foi feito em 11 países: Austrália, Brasil, China, França, Alemanha, Itália, Japão, Cingapura, Coréia do Sul, Reino Unido e Estados Unidos.

Os resultados indicam que as pessoas estão insatisfeitas com a maneira pela qual muitas empresas lidam com suas informações: 96% dos consumidores pesquisados no Brasil concordam que as organizações devem fazer mais para protegê-los. Nos demais países onde a pesquisa foi conduzida, mais da metade dos entrevistados concorda com essa afirmação. Além disso, segundo o levantamento, 6 em cada 10 brasileiros relataram que sofreram com vazamento de dados ou conhecem alguém tenha passado pela situação. Na verdade o público brasileiro foi o mais enfático nas respostas, exigindo mais proteção para seus dados, enquanto os chineses foram os menos enfáticos. Por exemplo: 68% dos brasileiros consideram importante que serviços essenciais como assistência médica, bancos e companhias de seguros mantenham a privacidade dos seus dados, somente 38% dos chineses pensam assim.

Quando se trata de privacidade, não há uma preocupação apenas com a proteção, mas também com o controle dos dados. No Brasil, 5 em cada 10 consumidores sabem que suas informações são sempre, ou na maioria das vezes, compartilhadas. De fato, 81% dos brasileiros afirmaram ter perdido o controle de como suas informações pessoais são usadas pelas empresas.

Segundo João Rocha, líder de cibersegurança da IBM Brasil, as organizações precisam repensar sua abordagem em relação à responsabilidade de dados, especialmente com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados.

“Temos à nossa disposição novas tecnologias que, por meio dos dados, podem impulsionar a inovação, como Inteligência Artificial, Cloud e Blockchain. No entanto, empresas que coletam, armazenam, gerenciam ou processam dados têm a obrigação de tratá-los com responsabilidade e a LGPD assegurará isso. Por isso, é importante que as organizações comecem a se preparar o quanto antes e concentrem seus esforços na segurança e privacidade”, afirma o executivo. “Além disso, proteger as informações de seu cliente pode refletir uma vantagem competitiva, afinal os clientes valorizam empresas que são seguras em relação aos seus dados”, complementa.

Compartilhe
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp