googletag.cmd.push(function() { googletag.display('div-gpt-ad-1592598795326-0'); });
quantum-869533_640-e1571963575198.jpg

Computação quântica ameaça segurança cibernética

Da Redação
25/10/2019
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

“Supremacia quântica” deve tornar o trabalho das equipes de segurança cibernética ainda mais difíceis do que atualmente

quantum-869533_640-e1571963575198.jpg

Os computadores quânticos, que começam a entrar no campo experimental, podem representar uma ameaça à segurança cibernética no futuro. Profissionais de segurança descobriram um fato simples: eles serão capazes de decifrar os algoritmos de criptografia mais sofisticados, de maneira relativamente fácil.

Pesquisa com líderes de TI de 400 organizações, conduzida pela ReRez Research sob encomenda da DigiCert, fornecedora de ferramentas de criptografia, mostra que 71% veem os computadores quânticos como uma ameaça à segurança. A maioria dos entrevistados avalia que esses computadores poderão ser empregados para decifrar códigos de criptografia dentro de três anos.

Noventa e cinco por cento dos entrevistados disseram que já estão discutindo pelo menos uma tática para se preparar para a criptografia pós-quantum. Um terço disse que já definiu orçamento de criptografia pós-quantum, enquanto 56% disseram que estão trabalhando para estabelecer um budget.

No entanto, 40% dos entrevistados disseram que esperam dificuldades para enfrentar o desafio do computador quântico devido ao custo, falta de conhecimento da equipe e preocupações de que os fornecedores de ferramentas de criptografia não possam atualizar os certificados a tempo.

No início desta semana, uma equipe de pesquisadores do Google, da NASA e do Laboratório Nacional de Oak Ridge fez uma alegação controversa de ter alcançado um marco técnico conhecido como “supremacia quântica” — eles mostraram que um qubits de processamento quântico de computador pode realizar tarefas significativamente mais rapidamente do que computadores convencionais. Embora haja muito debate sobre o quão mais rápido um computador quântico é do que um computador tradicional, a pesquisa confirma que há um argumento econômico para a construção de computadores quânticos.

Obviamente, não é provável que os cibercriminosos tenham recursos para construir seus próprios computadores quânticos. No entanto, Timothy Hollebeek, estrategista técnico de padrões e indústria do DigiCert, observa que computadores quânticos um dia estarão disponíveis na nuvem como outra plataforma de infraestrutura como serviço (IaaS). Os provedores de serviços em nuvem normalmente não perguntam por que os clientes podem querer executar uma carga de trabalho em suas plataformas. Portanto, os computadores quânticos podem se tornar um problema maior mais cedo do que a maioria das organizações de TI entende.

Ao mesmo tempo, os países estão investindo em computadores quânticos, que sem dúvida serão empregados para decifrar algoritmos de criptografia como parte das atividades de espionagem cibernética.

Hollebeek diz que muitas empresas subestimam o tempo e o esforço necessários para substituir os algoritmos de criptografia empregados atualmente nos aplicativos existentes. “Se as organizações anteciparem que esses algoritmos serão quebrados nos próximos três anos, é hora de começar a substitui-los”, diz Hollebeek. “Além disso, qualquer novo algoritmo de criptografia deve ser implementado de maneira a facilitar a atualização no futuro”, acrescenta.

Não está claro quanto tempo as pesquisas teóricas em computação quântica resultarão em sistemas reais que possam ser usados ​​para processar dados a taxas exponenciais. No entanto, quando a computação quântica se tornar realidade, um dos primeiros casos de uso desses sistemas será tornar os trabalhos das equipes de segurança cibernética ainda mais difíceis do que atualmente.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest