googletag.cmd.push(function() { googletag.display('div-gpt-ad-1592598795326-0'); });

Como um roubo com e-Mail rendeu 19 milhões de Euros

Paulo Brito
15/11/2018
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Documentos da justiça holandesa indicam que a empresa francesa de cinema Pathé perdeu 19 milhões de euros na sua operação na Holanda – o equivalente a R$ 84 milhões. O golpe, no estilo ‘business e-mail compromise’, custou os empregos do diretor executivo e do diretor financeiro, e ainda não se sabe se algum dinheiro foi recuperado. O caso apareceu na mídia porque o diretor financeiro demitido, Edwin Slutter, processou a empresa e seu processo mostra em detalhes como os ladrões começaram a dar o golpe na Pathé Nederland no início deste ano.

Segundo o processo, o primeiro e-mail chegou em 8 de março e aparentemente havia sido enviado pelo presidente do grupo, um executivo que fica na França. A mensagem foi destinada à diretora da operação holandesa, Dertje Meijer.

Esse e-Mail perguntava se a consultoria KPMG (uma das maiores do mundo) havia entrado em contato com Meijer naquela manhã. Depois de discutir o assunto com o diretor financeiro Edwin Slutter, Meijer respondeu ao e-mail: “Não recebemos nada, nem uma ligação deles. Se você quiser que eu entre em contato com eles, você tem detalhes de contato?” O suposto presidente francês respondeu que a Pathé estava envolvida em uma aquisição em Dubai, e precisava que a filial da Holanda fizesse um pagamento confidencial de € 826.521. O dinheiro seria reembolsado no dia 26 do mesmo mês.

O “presidente” francês informou que a transação deveria permanecer “estritamente confidencial. Ninguém mais deve estar ciente disso por enquanto para nos dar uma vantagem sobre nossos concorrentes. Eu e mais ninguém notificarei as partes afetadas no devido tempo.” Depois de mais algumas trocas de correspondência, Meijer enviou a correspondência para Slutter, o diretor de finanças, com o comentário “estranho, você não acha?”. No dia 9 de março ela recebeu um novo e-mail, confirmando a aquisição e uma fatura cobrando o valor, que representaria 10% do preço de aquisição. O dinheiro deveria ser enviado à conta bancária operada pela Towering Stars General Trading LLC em Dubai.

Em 13 de março, foi pedido um segundo pagamento de € 2.479.563 para a mesma conta, seguido por um terceiro e quarto pagamentos. Em 27 de março, a Pathé Nederland havia pago um total de € 19.244.304. Ou 82,4 milhões de reais.

Em 28 de março, Meijer recebeu um e-mail final do falso presidente, prometendo pagar o dinheiro. Mas nesse mesmo dia começaram a surgir perguntas da sede da Pathé em Paris.

Ficou imediatamente claro que Meijer e Slutter haviam sido vítimas de fraude. Ambos foram suspensos. Meijer, que dirigia a autoridade portuária de Amsterdã, estava no cargo há menos de um ano. Slutter tinha anos de experiência como contador da KPMG. Investigadores externos trazidos pela Pathé disseram não encontrar provas de que Meijer ou Slutter estivessem envolvidos na fraude.

Compartilhar:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest