Cisco adquire Armorblox, empresa de segurança de e-mail por IA

Da Redação
01/06/2023

A Cisco anunciou na quarta-feira, 31 de maio, que está adquirindo a empresa de segurança de e-mail Armorblox, com sede na Califórnia, por sua tecnologia de inteligência artificial (IA), preditiva e generativa. Os termos financeiros do negócio não foram divulgados. A Cisco disse que espera que o processo de compra seja concluído até o final de seu quarto trimestre fiscal, que termina em 31 de julho.

A Armorblox é especializada em proteger organizações contra ameaças que chegam por e-mail e outros aplicativos de escritório na nuvem. Os produtos da empresa são alimentados pela tecnologia de compreensão de linguagem natural (NLU, na sigla em inglês), que permite a interação humano-computador por meio de texto ou fala.

A Cisco disse que deseja usar a tecnologia recém-adquirida para mais do que apenas produtos de segurança de e-mail. “Vemos muitos casos de uso de segurança ampla e emocionantes e possibilidades a serem desbloqueadas”, disse a Cisco. “Aproveitando o uso de IA preditiva e generativa da Armorblox em nosso portfólio, mudaremos a maneira como nossos clientes entendem e interagem com seus pontos de controle de segurança. Desde a previsão aprimorada de ataques até a detecção rápida de ameaças e a aplicação eficiente de políticas — existem maneiras quase ilimitadas de melhorar a experiência de segurança atual.”

Veja isso
Cisco alerta sobre bugs RCE em switches Small Business Series
Cisco adquire a empresa de segurança em nuvem Lightspin

Após a conclusão da transação, a equipe da Armorblox será integrada ao Security Business Group da Cisco. A Armorblox emergiu no mercado em fevereiro de 2019 e arrecadou um total de US$ 46,5 milhões em rodadas de investimento. Em seu site, a empresa afirma ter protegido mais de 58 mil organizações em todo o mundo.A notícia da aquisição vem logo depois de a Cisco anunciar a compra da empresa de segurança de rede em nuvem Valtix e a empresa de segurança em nuvem Lightspin por cerca de 250 milhões. Com agências de notícias internacionais.

Compartilhar: